domingo, 27 de novembro de 2016

(I)limitações

O que não vejo,
o que não ouço,
o que não toco
eu sei que percebo
com a audição,
a visão,
o tato
e a consciência
do meu coração...

As partes "faltantes"
o amor completa,
pois eu sou tudo
o que posso fazer.

Eu me conheço,
eu me respeito,
mas também sei
que posso mais,
que mereço mais;
eu sou alguém...

Não diga-me
até onde
posso ir.

21 de setembro de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!