domingo, 30 de novembro de 2008

NÃO POSSO DIZER NÃO


Não importa o que aconteça
Mesmo que a tristeza permaneça
Te dou meu coração e ele sangra na sua mão
Pra você eu não posso dizer não
Tão docemente você me irrita
E mesmo que eu me sinta perdida
Cega pela paixão
Pra você eu não posso dizer não
Mesmo quando você briga comigo
E acho que perdi um amigo
Não adianta negar, não
Pra você eu não posso dizer não
É só você pedir que eu te dou
Pra onde você quiser eu vou
Não me importa outra opinião
Pra você eu não posso dizer não
Caindo talvez na decadência
Sem pensar na conseqüência
Muitas vezes acabo na escuridão
Pra você eu não posso dizer não
Muito cuidado com o que me pede
Quase sempre tudo antecede
Não penso na minha ação
Nem na sua intenção
Pra você eu não posso dizer não...

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

NOSSO AMOR É ASSIM!


O amor é assim
Nos deixa cego, surdo, mudo
Perdemos a noção de tudo
Muitas vezes a gente se magoa
Ficamos tristes à toa
Quem ama de verdade deve confiar
E na verdade deve acreditar
Entre nós dois existem muitas mentiras
Vindas de pessoas ridículas
Você precisa acreditar em mim
Ou a tristeza vai me dominar, enfim
Prefiro que tudo fique acabado
Do que eu te ver magoado
Muitos dizem que você está sendo traído
Mas tu não sabes o que por ti eu tenho feito
Quero apenas que em mim você sempre confie
Que pela estrada da vida você me guie
Você não sabe o que eu tenho passado
Por você eu tenho chorado
Remédios tenho tomado
Preciso da sua confiança
Guardar uma boa lembrança
Quem ama, confia
Transmite segurança e alegria
Por favor, acredite na MINHA verdade
E esqueça toda essa vaidade!
Temos de aceitar a verdade e a realidade...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

FANTASMAS


Tenho comigo muitos fantasmas
Que vagam como penadas almas
Fantasmas de minhas memórias
De coisas notórias
Que eu nem quero saber
De algum jeito quero esquecer
Fantasmas de muitas coisas inúteis
Ridículas e fúteis
Fantasmas de coisas que já passaram
Que muito mal me fizeram
Quero me livrar desses fantasmas
Para mim, eles são como o lítio
Tomam conta do meu espírito
Preciso descansar minha alma

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Um pouco sobre mim

Pra começar, vou falar sobre o blog. Ele nasceu de uma sugestão dada por um parente, para que mais pessoas conhecessem as coisas que eu escrevo; portanto, aqui está ele e espero sinceramente que dê certo. Será um prazer pra mim compartilhar um pouco da minha paixão de cada dia aqui com vocês.
Sempre gostei de escrever, desde muito pequena. Aprendi a ler praticamente sozinha, aos 4 anos de idade. Desde então muito me interessei pela leitura e escrita; porém abandonava meus manuscritos pelo caminho, pela óbvia inutilidade que tinham. Com o passar do tempo, passei a me interessar mais por ela, e desde o ano passado a poesia passou a fazer parte frequente da minha vida, através do jornal Zero Hora e também de uma leitura um pouco mais reflexiva de poemas de Mário Quintana, Vinicius de Moraes, entre outros.
Um tempo depois, comecei a formular meus primeiros versos e não parei mais. Com certeza a produção literária que tenho até agora vai ser suficiente para atualizar o site durante um bom tempo; felizmente sei que outros virão. Mas podem ter certeza: mesmo nos dias de plêiade, não deixarei de postar alguma coisa aqui, mesmo que talvez não saia a meu gosto. Espero que gostem, pois hoje sei que as coisas que escrevo são muito importantes pra mim.
Abraços poéticos a todos, até um dia qualquer! :)

Letícia Bolzon Silva