Páginas

segunda-feira, 9 de julho de 2018

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Dos amores

Talvez a falta de amor por si mesmo tenha mesmo a ver com a dificuldade em não entender que o amor dos outros não é algo que se tem por meritocracia. Não só o amor verdadeiro deve ser dado de graça, sem esperar retorno, como ele não existe por escolha... É construído com o tempo e com tudo o que isso traz ele evolui, mas acima de tudo continua sendo simplesmente o que é.

E por conta disso, por mais que seja algo que queiramos, acontece, mesmo que inconscientemente, uma espécie de dificuldade de aceitar que sim, somos amados de verdade, e por tudo aquilo que somos. A sensação de que aquilo é gostoso demais para estar realmente acontecendo. Que só pode ser um sonho. Será que é isso que faz essa sensação, esse sentimento, esse momento ainda mais bonito?

Talvez isso valha também para quando estamos no processo de conhecer as outras facetas das pessoas. Aceitando que elas são também vulneráveis, humanas, que podem melhorar se tentarem, que como o amor são como são, e apreciá-las não APESAR dos aspectos ruins, mas COM eles. Por mais que o processo nunca seja fácil, muitas vezes podemos achar o outro muito mais fácil de amar do que nós próprios.

Mesmo que muitas vezes eles acabem servindo como espelhos das nossas falhas; que possamos ver nossas partes obscuras nos olhos deles. Então talvez seja por isso que precisamos viver em comunidade, afinal. Para aprender uns com os outros. O interessante é exatamente o fato de sermos todos cinza por dentro.

Será que aceitar o amor dos outros é parte do caminho para amar a si mesmo e então retribuir o que se recebe ainda melhor? Será que temos medo de ser amados por medo de que seja sempre tudo mentira? Será que por não conseguir me amar eu não estou amando os outros de forma verdadeira?

06/07/2018

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Do que se faz pela felicidade

Talvez a felicidade seja mesmo sagrada... E o seja por ser tão única para cada um, e parecer a um só tempo algo que só pode ser idealizado e algo que está perto o suficiente para ser tocado; possivelmente até óbvio para os olhos e nem sabíamos disso. E, será que quem atinge o que considera como felicidade segue querendo mais, ou vive quietinho sem buscar mais nada?

Será que este é um dos casos em que o que conta mais é a busca do que o resultado? Mas e como vive quem não o consegue – mesmo que seja personificado em algo considerado pequeno? Valeu viver apesar de tudo isso?

Cada vez mais acho que o que me mantém viva seja a minha vontade de ter como pessoa mais do que tenho hoje. Porque eu mereço, simplesmente, e se eu posso ser melhor, por que não ser? Pelos outros, e principalmente por mim. Seja a vontade de fazer algo no qual possa me reconhecer; olhar para mim mesma e saber que sou tudo o que posso ser. E para isso preciso trabalhar duro de muitas maneiras, eu sei...

Sei quando dou tudo de mim no que faço; sei quando poderia ter feito mais, mesmo não tendo acontecido. Em especial quando a “hora da verdade” chegar para mim e eu ter que dar minha cara a tapa me virando sozinha porque não haverá outra opção, quero poder encontrar o equilíbrio. Fazer o que precisa ser feito com o melhor de mim, mas sem me cobrar demais. Apesar de e com tudo o que me falta, confiar em mim mesma... E também não ter medo de pedir ajuda de vez em quando.

Talvez a felicidade para mim seja olhar para o que quer que eu conquiste e me sentir preenchida. Não só porque o mundo exigiu aquilo de mim de um modo ou outro, mas porque foi algo que eu desejei. Se não vem de mim, não tem a mesma graça. E por mais que me doa, não posso ficar pensando no que perdi. Não vai me ajudar em nada! Seja o tempo, seja alguém, seja uma sensação. Só o que me resta é o que ainda pode e merece vir; com a ajuda da vida e também do meu trabalho.

Talvez o tanto que eu queira, precise e mereça na verdade tenha a proporção de muito pouco, mas pareça grande aos meus olhos pelo seu significado. E são coisas que tanta gente também quer...

Talvez tudo isso, que não deixará de ser um bolo enorme de coisas diferentes que (tomara) só aumentará, seja a fagulha que ilumina tudo e dá o sentido. E esse pequeno grande bolo aumentará porque ainda sou curiosa; sem curiosidade não se vai atrás de nada novo, mesmo que seja daquilo que mais se deseja e que se conhece tão bem. Mesmo que seja por um método novo de se chegar onde queremos.

Que bom que ainda me resta isso.

Talvez felicidade seja tudo o que me deixa confortável, e também desconfortável num bom sentido. Seja tudo o que me permite ser tudo o que sei que sou e que talvez ainda nem saiba que seja. Tudo o que me faz vulnerável e ao mesmo tempo forte, que me faz mais humana e não apenas um pedaço de carne que ocupa espaço e tem a sensação de que incomoda os outros, de que algum pedaço de si está faltando.

05/07/2018

terça-feira, 3 de julho de 2018

Cruzadas

Se ele te achasse
na luz mais negra
ou no sol dos dias,
tu saberias?

Se ele te chamasse
e inventasse uma nova regra
em que não há tanto segredo
tu terias medo?

Se ele te desse o passe
não fosse duro como pedra,
esquecesse as manias,
tu virias?

Se ele queimasse,
abandonasse tudo o que nega
quanto tocasse o teu,
qual seria o meu troféu?

03/07/2018

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Reminescência

Não há como esquecer o beijo
de alguém como tu,
a paixão dos teus olhos
e gestos
para quem vive em frangalhos
procurando os próprios restos.

Vem sem nenhum tabu
ou pressa
e nos consome
até não se saber mais o nome
do fim que nunca começa.

Quando o amanhã chega
a boca não nega
o gosto que fica
e o toque
que faz música
dum choque.

Então eu garanto,
não importa
que a próxima hora esteja morta
depois de rendida a tanto
que faz lembrar o desejo
que estava aqui, por um sopro.

29/06/2018

quinta-feira, 28 de junho de 2018

A verdade sobre a dor

Depois de tanto tempo sem escrever; depois de tantas páginas que escrevi, que ainda tenho e perdi, muitas vezes repetindo as mesmas coisas simplesmente porque elas não mudam e há pouco que eu possa fazer, hoje me restou a pergunta: será que sei realmente o que me dói? Será que o controle que estou tendo das minhas angústias no momento é verdadeiro?

Será que vou saber o que fazer? Que eu ter a minha casa e construir a vida que quero vai mesmo me ajudar, me curar (de certa forma) e ver as coisas por outro ângulo, para que eu também possa aprender a me amar...?

Talvez me sirva de consolo não estar sozinha nesse barco. Eu vou ficar bem.

27/06/2018

quarta-feira, 27 de junho de 2018

From nature

I swear it's in the way you walk,
in the light of your smile.
The deep of your voice in love talk
and the curve of your profile...

You should know it's your eyes on fire
when you don't know and don't notice
that otherwise you'd be a liar
even to me, a life's novice.

Everything yours and only yours
like the sweat from your pores
as soon as you walk out those doors

and nothing that comes by force
is worth to be endorsed -
except your grace, of course.

27/06/2018

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Semper femina

Assim me quis o mundo:
ferida orgulhosa de guerra
que dá vida para esta terra
como o mais sagrado, mais profundo.

Rainha do maior palácio -
sua guarda e septã.
Ninguém disse que seria fácil,
mas aceito a sina do clã...

Clamo tais dadas formas
de túnel ao autoamor
que desafia todas as normas
sedosas em seu esplendor.

Talvez por isso eu seja linda
mesmo que ninguém o diga
e na minha feiura, resta ainda
a verdade, a deusa, a amiga.

20/06/2018

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Carimbo

Gosto de vinho,
borrada de batom,
assim tão faminta...

Toque fino de linho
e tão lindo esse som
a quem quer que o sinta...

Adiantada da hora
que não é minha,
que eu não quis...

Quer me levar embora -
do tipo mesquinha,
mas eu quero mais...

Pelo menos por hoje eu fico,
não me importo e entrego
ao mundo a vontade de durar...

E me dá o que há de rico,
intenso, vivo e cego,
feito para se lembrar...

20/06/2018

sábado, 9 de junho de 2018

Buraco negro

É difícil sentir falta
do que não se conhece,
então por que me entristece
o que deixa uns e a outros mata?

Quem ainda sou eu
com o que é meu e ainda não está mais aqui
e sim perdido no pó do breu
que me separa de ti?

Como seria essa outra face
em que tantos se enxergam,
não importa quanto tempo passe -
a quem tantas verdades se entregam?

Seríamos nós como o sol e a lua
no tal cerco, no tal ciúme
daquela mágica tão crua
de quem tão poucos sabem o perfume?

Seria isso uma inveja
e sinal do meu vazio
indo comigo onde quer que eu esteja
só para assustar, dar arrepio?

08/06/2018

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Do desejo

Talvez não seja sonho
e só um jeito de viver...
Ainda assim, é desejo tamanho
que não me deixa esquecer...
,
Talvez não me dê a felicidade,
mas na hora em que acontecer
lá fora ou nesta cidade
posso ter a chance de então ser...

Um pouco do que sou por dentro,
pelo menos, e bem mais honesta
com o melhor de mim sempre no centro -
do contrário, nada mais me resta...

Talvez desejos sejam o início
do mais infinito querer
que não precisa ser suplício
por ser menor, e aí nos basta só entender...

31/05/2018

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Por entre as pedras também nascem flores

O problema da ansiedade é que ela não te ajuda a entender que as coisas não acontecem do nada. Dependem não apenas dos nossos desejos, mas daquilo que fazemos de verdade para alcançar isso; e que quase nada é fácil. Ela não te deixa enxergar que cada passo é importante.

E que por mais que nossos sonhos pareçam ou mesmo sejam simples em seu conteúdo em si, talvez no contexto geral ele seja o sonho grande, o maior objetivo de todos, enquanto ele existir. E que para chegar até isso, podemos e devemos tentar, falhar e realizar muitos outros pequenos sonhos que surgem durante o caminho... Por isso é tão louco e injusto, e ao mesmo tempo normal, se sentir perdido com tanta coisa que se poderia fazer.

Tanto que poderia nos fazer feliz.

O importante talvez seja mesmo não ficar parado. Celebrar as pequenas coisas e não ter medo de mudar de ideia se for necessário, mesmo sendo muito assustador. Tudo precisa da gente, mas tem hora certa para acontecer.

29/05/2018

terça-feira, 29 de maio de 2018

Sobre o altar

Os deuses são generosos comigo
quando as palavras fazem sentido,
me mostram o mais antigo,
fazem jus ao mais querido.

O que me dão vira abrigo
para a mente feito cão perdido
que se tem como maior perigo
por tudo o que deixa escondido.

Seu silêncio é tamanho castigo
quando tanto aqui dentro é contido
tentamos não olhar para o umbigo
mas já não se aguenta o alarido.

28/05/2018

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Quando o risco vale a pena


Amigos, leitores, é com prazer que venho anunciar que está disponível em arquivo pdf (vers~so impressa em breve) o meu primeiro volume de poemas, em publicação independente em parceria com a Amazon KDP. É um trabalho do qual realmente me orgulho e por isso mesmo merece ser compartilhado em livro.

A produção foi quase toda artesanal, desde a capa até a formatação do arquivo de miolo. Caso for adquirido em versão impressa (que logo estará disponível), o livro chegará ao destinatário nas medidas 13x21. Ele pode ser encontrado neste link.

Fiquem à vontade para me enviar feedback através do meu e-mail, do contato do blog e do espaço disponível na página do livro na Amazon, isso é mais do que bem-vindo! Assim como compartilhar o link onde e para quem quiserem.

Segue abaixo a sinopse completa do livro:

Este livro é feito do inconsciente que se tornou verdade. Do impulso transformado em instinto de primeiro passo para uma segunda chance em muitos sentidos. De ver a passagem do tempo e enxergar com ela o que de bom não parecia estar ali antes.

De perceber que finalmente se está fazendo algo diferente de todo o resto, apesar de tudo; algo em que se acredita de verdade e em que podemos nos reconhecer – não importando quão penoso for. É o risco de se deixar influenciar, tomar a direção genuína de algo novo e melhor, mesmo que de pouquinho em pouquinho.

Feito do que se tem para dar em troca do que quer que isso valha e que pela honestidade envolvida dispensa o antigo arrependimento. Este livro é feito de novos sentidos que, se lhes for permitido, serão a base de novos começos. De algum lugar eles têm de vir…

Com prefácio do generosíssimo Edison Botelho :)

Muito obrigada e boa leitura!

- Letícia Bolzon Silva

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Prize

If you're of the kind
that eats hearts for dinner,
I'm sure you won't mind
the confession of a sinner
who once said out loud
"So pretty, your eyes and their blue,
would you hand me them out
because I really like that in you?"

23/05/2018

sábado, 19 de maio de 2018

Teatrinho

Tudo o que eu já fiz
sem amor foi apenas
tempo gasto
que não deixa rastro
nem alento
a um olho atento
a suas próprias penas -
é assim que se faz uma atriz?

19/05/2018

terça-feira, 15 de maio de 2018

Do futuro

Faz mal querer
que o horizonte para onde tu olhas
seja eu?
Que nisso eu possa perceber
que em todas as escolhas
a nossa não morreu?
Que quando o verão ceder
e caírem as folhas
ainda seremos tu e eu?

14/05/2018

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Receios

Fria como a neve que nunca vi,
a face de quem não ama
enquanto carrega a chama
quente do que quer para si.

E mesmo assim segue a procura
simplesmente porque merece
a resposta da maior prece,
a que mais fala de ternura.

Já não sei o que seria
não respeitar a solidão
que faz conhecer o coração
e me toca com poesia.

03/05/2018

quarta-feira, 2 de maio de 2018

02/05/2018

O que importa é quando a gente
entende que certas coisas
não envolvem apenas
a gente ou a nossa dor.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Urbi et orbi

O caos está aqui
e o caos é lindo -
de choro a gente ri
pela dor que está sentindo.
Prova do veneno
que faz o que era sereno
em um novo mundo
debaixo da areia do fundo.

30/04/2018

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Candlelight

I stare
because I dare
to see you tremble
with the blows
of wind that comes and goes
and again get steady
to state that you're still ready
to fight the fleeting until the end
just because you understand.

You crack, you sing and burn
and take what is yours to earn
around the fireplaces
and warm beloved faces -
every decoy
of the smooth that doesn't destroy.

30/04/2018

domingo, 29 de abril de 2018

Ainda

Tu és uma alma livre
como todas deveriam ser.
Não posso te sufocar,
não posso te prender.

Tudo o que posso fazer
é te pedir para ficar
só mais um pouco
e este coração louco
poder descansar...

E assim lembrar do viver
que não é apenas triste
mesmo depois do que viste
conosco acontecer.

Antes de soltar minha mão
e esperar pela próxima vez,
te garanto, este não
na verdade é um talvez
dito pela saudade.

29/04/2018

sábado, 28 de abril de 2018

De esguelha

Não me olha assim
com esses olhos tão lindos
que parecem saber de mim
até os cantos mais infindos...

Do contrário eu acostumo
com o carinho do teu olhar
e não consigo achar outro rumo
de volta ao respirar.

Não faça isso! Porque eu gosto
da ideia de ser mimada
pelo sorriso do teu rosto
do outro lado da sacada...

26/04/2018

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Ressaca

Encharcado de vinho
qualquer colo é macio,
qualquer sorriso é lindo.
Todo mundo sabe o caminho
por onde vai no meio-fio
a pedra que rola, caindo.

19/04/2018

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Deus ex machina

Ninguém há de nos salvar
deles, nem de seu legado,
de tudo o que em nós foi gravado,
nem, portanto, de nós mesmos,
além de nós.

Muito pouco há de sobrar
se o melhor for levado
do olho de quem está do lado...
Todos conhecem o tal algoz.

19/04/2018

quarta-feira, 25 de abril de 2018

O chamado

Dá pra fazer verso
que não seja
de amor.
Mas não se vive poesia
se não for
por amor.

19/04/2018

terça-feira, 24 de abril de 2018

Um luto

O eterno
morreu cedo
e partiu
meu coração.

Restou eterno
em medo
e saiu
pela mão.

19/04/2018

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Untamed

His fingers touch,
always want so much,
his lips kiss
every chance and spot my dresses miss
and oh, he's so warm,
says he'll do you no harm
but you know he's a flame
just by the way he says your name.

And if you don't stay alert and watch
you're the next prey to catch;
a girl may be kissed by moonlight
but you're not her, and out of spite
a boy might bite
and burn
and take a heart in return.

17/04/2018

domingo, 22 de abril de 2018

Ticking bomb

Until when
shall remain this desire
eating out like a bright fire
more often than now and then?

Such deep a void,
as deadly as a black hole...
And all the peace it ever stole -
much more might get destroyed.

Innocence is a child who got lost
because it knows nothing of this world,
but it's been known there are remains,

dust from its old pains
as if they don't even cost
doing only what it's told.

16/04/2018

sábado, 21 de abril de 2018

Ruins novas

Não tenho nada a falar-te
a não ser do vazio,
o coração ainda frio
tentando não fazer alarde.

Parece que isso faz parte
de grande e caudaloso rio
que nunca tocará mar arredio
ou bater em baluarte.

E sinto como um descarte
imortal, sem razão e doentio -
enquanto dura causa arrepio,
mas dói menos ao pensar-te.

11/04/2018

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Encarnada

Conheço de ouvir dizer
e porque não vivi
mas li
um pouco sobre
vida pobre
que sinto ter.

Como teatro
feito na escola
que não dá bola,
passional
feito do total
e deixa de quatro.

Tanto ser e nome
num abraçar
fazendo um lar
em tudo que se tem
sem desdém
aqui dentro e nunca some.

10/04/2018

quinta-feira, 19 de abril de 2018

31/03/2018

Não importa que eu não saiba bem
o que fazer amanhã...
Porque pelo menos
sei o que sempre quis.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Ponto de contato

Como pessoa que talvez se ligue demais ao passado, concordo com um texto que li num blog que diz que talvez a melhor parte de se ter amigos antigos é tudo o que muda na vida, mas que não mata a beleza do que passou e ainda assim os une.

Mas eu não quero apenas de relações que se sustentam apenas de melancólica nostalgia que no fim se reduz a silêncios. Talvez para estas o melhor seja mesmo a morte, por mais que seja doloroso.

Então eu deduzo que o segredo para se conservar as relações, e neste caso as amizades, seja o esforço em faca de dois gumes.

Esforço em festejar o passado, se orgulhar do presente e olhar com esperança para o futuro que mora nos nossos olhos e nos da outra pessoa. Encontrar os pontos de contato entre quem se foi um dia e tudo o que nos tornaremos ao longo dos dias, longe e perto um do outro.

E amar um ao outro principalmente pelo que se tem para dar e ser agora. Quem no fundo realmente se é. Talvez seja isso o que não deixe a distância ficar tão grande...

19/03/2018

terça-feira, 17 de abril de 2018

Quem matou o amor?

Se o amor pudesse ser sempre incondicional, não existiriam tantas pessoas que infelizmente tiram a própria vida por não estarem dentro de certos padrões e não conseguirem mais aguentar os comentários e energia negativos vindos das pessoas próximas.

Não haveriam tantos casais que por n circunstâncias simplesmente se separam. Às vezes, entre elas, a de que o amor simplesmente acabou. Que faceta do amor acabou? Quem matou o amor? Talvez a falta de palavras... De certas palavras, de todo modo. Porque pouco foi doado, aceito e alterado num bom sentido.

Ou o que foi dado e recebido já não era mais necessário...

Se paixão for uma questão de foco no que nos agrada, talvez a morte do amor resida no que seja detestável. O foco na parte ruim. E talvez o que tenha matado em mim uma quase paixão, mas que conservou o carinho e o amor nas suas formas mais bem-vindas ao caso também tenha sido o foco.

O jeito de domar o coração e, quem sabe, conhecer o amor incondicional. Se existir.

30/03/2018

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Filia

Se bem agora ainda quisesse um filho
juro por cada cílio
que seria contigo
que é meu amigo,
a maior alegria
tornada garantia
do que qualquer desconhecido
que vem da libido
e vira coisa amada
e quem sabe tristeza,
depois mais nada.

28/03/2018

domingo, 15 de abril de 2018

De frente

Seja capitolina
e faz favor
a esta pequenina,
deixa ver os olhos...
Deixa?

Essa doçura
com pontinha de tristeza
bem pura
que eu não conhecia...
Desleixo?

Tanto carinho,
como é que pode
ter cruzado meu caminho
com tamanha escuridão...
Beija?

27/03/2018

sábado, 14 de abril de 2018

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Prazer culpado

Se o que temos hoje
no fundo sempre foi
falácia,
quando estaremos
plenos,
satisfeitos,
o que com orgulho será
chamado de verdade?

Há certo prazer
na culpa
quando tem a audácia
de nela sermos
todos nossos, terrenos
porque veio destes peitos
de gente que errará
com egoísta humildade.

27/03/2018

quinta-feira, 12 de abril de 2018

O preço que se paga

Acho que "A história secreta" , de Donna Tartt, é um livro sobre a ingenuidade e o quanto as fachadas que pintamos de nós mesmos e dos outros mais cedo ou mais tarde caem, nos empurrando para a realidade de que não adianta nos enganarmos - no fim somos capazes de tudo e carregamos muito mais do que imaginamos dentro de nós.

Não sei se por acaso a relação entre Charles e Camilla não fosse tão complexa como é e Henry e ela tivessem ficado juntos o final dele teria sido diferente; talvez não. Talvez o amor dos dois não fosse o bastante para aplacar daquela alma que não parecia pertencer a este tempo - também pelas desilusões adquiridas bem ao fim por sua própria ingenuidade.

Apesar de todo o seu ciúme, me pareceu fora de contexto Charles ter machucado a irmã como o fez - alguém que mal suportou o corte no pé dela. Também achei muito cruel eles terem sido separados quando podiam muito bem terem se acertado depois de um tempo. Pessoas em si mesmas como são, ao mesmo tempo certamente funcionam melhor perto uma da outra.

Outra ilusão e ingenuidade da parte de Richard foi pensar que sua versão idealizada de Camilla poderia se interessar por ele com Henry e Charles fora do caminho. Mas a questão verdadeira é que a moça é mais do que ele imagina e merece, e ele nunca esteve no páreo.

Considerando a minúcia e paixão com que descreve Henry e a menina, cheguei a pensar que Richard fosse atraído pelos dois, mas analisando melhor, acho que ele o fazia porque a frieza graciosa de H. era mesmo fascinante e porque ele sabia que jamais teria aquela química peculiar com Camilla.

Sem dúvida Henry carrega a facilidade com que matou Bunny como mais um de seus pesares, mas B. era tão chato que mereceu o destino que teve e toda a sua necessidade terrena e divina. O que, levando em conta o quão desagradável B. podia ser, me leva a questionar a razão de ele estar no grupo, quando poderia muito bem ter sido isolado e considerado apenas um colega numa turma bem pequena. Ainda mais pensando no que Henry falava sobre sua relação com ele...

08/03/2017

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Mesura

Consigo pensar com clareza em tudo o que eu te diria se nos encontrássemos. Tudo o que eu tentaria dizer, se a coragem aparecesse. Pelo menos no silêncio do quarto eu consigo pensar e me lembrar...

São as coisas mais docemente honestas que eu jamais te diria, que só tu entenderias e só a ti seriam destinadas. Não me importa que possam parecer delírios - não há mentira em uma sílaba sequer e tu sabes que sempre seria assim.

Esta poderia ser a prosa mais linda, mas as palavras, que no escuro diálogo saem tão facilmente, se recusam a escorrer pelo papel. Não falo de versos, porque deles só Apolo e as musas sabem os que te pertencem.

Talvez porque estas devam ser guardadas para a voz alta e, quem sabe, o privilégio da visão do teu sorriso.

24/03/2018

terça-feira, 10 de abril de 2018

Salomé

Meu reino por um sorriso teu,
nem que eu morra plebeia -
querida, tu não tens ideia
da virada que me ocorreu...

Indago se mereço tal encanto
embora me pertença a realeza
e more dentro de mim a certeza
de saber de uma rainha e seu pecado santo.

Prata e ouro pela lua em teu rosto
e talvez eu não queime com meu coração de sol -
tu te tornas novo seguro farol
e faço jus ao meu posto.

Sangue por um beijo
se a alma e os deuses deixarem
esses gostos se encontrarem
no risco de um ensejo!

E quem sabe eu viva a verdade
que caberia a todo poeta
de corpo e sina completa,
cada pureza e sujidade.

Tu acreditaste e agora sei
que sou senhora e como aquele deus
a quem eu nunca direi de todo adeus -
tamanho amor e fogo forjaram o abraçar do que me tornei.

11/03/2018

segunda-feira, 9 de abril de 2018

(In)Farto

Tu achas que sabes
o que queres da vida?
Mais pesado que pernas
crescidas de inércia.
Tudo que é quase nada,
vazio que preenche
simplesmente porque é verdade.

Fecha a porta e abre
aquela velha ferida...
Ânsias agora eternas
em paredes que ouvem as conversas.
Uma criança assustada
depois de outra avalanche,
tu conheces tal maldade?

23/03/2018

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Habilidades adquiridas

Tanto que não nos ensinaram
e poderia já estar em nosso poder
porque nos subestimaram
está sendo conquistado para qualquer um ver.

A ruína deixada no passado
não nos impede de querer
consertar tudo o que deu errado
e mesmo sozinhos nessa, aprender.

Ainda riem de nós
e do medo do que está por vir
e ainda assim perseveramos, mesmo depois de cair,
fazemos ouvir a nossa voz.

Precisamos de muito, muito menos
porque temos uns aos outros
para tornar os tempos mais amenos
através do que temos e criamos.

20/03/2018

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Das profundezas

Alegra-me tanto a paixão
que não deixou a primeira canção
morrer no fundo do meu coração...

Amor, de onde ela veio?
Eco grave que acerta em cheio
e no qual eu me banqueteio...

Cheiro de couro e incenso
tão gracioso, tão intenso
neste cantar feito imenso...

O belo do céu e do inferno
no teu beijo, sempre terno,
nosso Estado, nosso governo...

23/02/2018

terça-feira, 3 de abril de 2018

Thing from the sky

I barely look at you,
yet I love you so...
Always full, mad and new,
with me wherever I go.

Excuse me if these coward eyes
are down and not ahead the stream -
is this why when the night dies
the more you pull away from me?

Sometimes I forget I belong to the night
and you don't blind, you can be a guide
to those who are not afraid to fight -
ears, feet and sight opened wide.

I may just be afraid of falling
even so close to the ground -
who knows when nature might be calling
and its child must come around...

I hear you know of these bars
a beast shall forever scratch
until it's taken to the stars
that make a perfect match...

17/03/2018

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Partido

O que me mata
não é o que fica só aqui dentro,
mas o escárnio, a bravata,
comédia feita do sentimento.

É isso que me parte
em pedaços e gotas
conhecedoras da maior arte,
das mais óbvias rotas.

Contra mim sendo usado
tudo o que em si me basta
apesar do desejo, bem no fundo

de que a chama que se alastra
queime também o ser amado,
brote do útero fecundo.

16/03/2018

domingo, 1 de abril de 2018

16/03/2018

Falar de si como se não soubesse
que pode viver mais tempo,
sem nenhuma razão concreta,
é antecipar a morte, é
coisa de gente que não
tem vontade de viver
e dá as mais vazias desculpas.

sábado, 31 de março de 2018

Desarmamento

Eu me faço de forte
tanto quanto sei que sou
mesmo sem esta armadura
que a vida me forjou
e guia meu norte.

Mas olha só como me deixa
uma palavra, um pensamento
na minha boca pura
e a tua voz de gueixa
sem saber que é linda.

Rio de mim porque me encanta
tudo o que os meus olhos mostrariam
e se vê debaixo da tinta,
aos poucos se planta -
eu fico boba.

A bomba dispara
como quando era criança,
se afoba
e alegra, minha cara,
dentro do peito.

Talvez por causa da esperança,
a velha e a nova
que apesar de tudo se renova
e me desnuda
a ti e ao meu leito.

Te conhecer jamais há de deixar
esta alma muda -
ela há de cantar,
eu me conheço, eu sei,
parte de mim é fácil de prever.

Minhas defesas cairiam.

15/03/2018

sexta-feira, 30 de março de 2018

Mariellino

Mulheres que fazem
e obedecem as leis
ainda morrem
porque se recusam
a confiar nos que se acham reis
e fazem guerra -
hoje o sangue delas
é maná da terra.

15/03/2018

MARIELLE, PRESENTE!

quinta-feira, 29 de março de 2018

Di cuore

Se um coração fora do corpo
não pode viver, é algo torto,
isso é tudo o que eu posso te entregar
e tu podes ver, podes tocar
e mais que nada, sentir.

Na alma e debaixo da pele,
tudo de mim que há nele
e agora é teu, é nosso.
Tentando ser digna do carinho vosso,
um lugar bonito para onde ir.

E é assim que num desejo eu fico -
nas memórias tudo é mais rico,
vivo e eterno como cada poema
desses que não conhecem anátema
e a mão minha puder conduzir.

13/03/2018

quarta-feira, 28 de março de 2018

Pretensão

Prefiro de mim ser cheia
do que este vazio...
Viver do fogo em cada veia
destemido, que incendeia
e mata o frio.

Prefiro pensar que sou mais
que espera por morte e poeira
no fundo sem eira nem beira
e querer o mundo na algibeira
assim como tantos reis.

Prefiro de dentro a pretensão
que eleva e empurra à frente,
para o meio de uma melhor gente
como memória velha e quer o diferente
na verdade do seu coração.

13/03/2018

terça-feira, 27 de março de 2018

Gospel

The best poems of love
are written with sweat
onto creased bedsheets.
The best poets are the ones
who whisper truths and punches
that shall never be known.

More can be seen by blind eyes
with hungry, attentive hands
than by glances that never cross.
More can be said with smiles
amidst the greatest quiet
than in the most passionate letters.

This much you and I already know.
Yet there's even more for a fool to learn.

12/03/2018

segunda-feira, 26 de março de 2018

Encantamento

Se acaso perguntasses:

Se eu beijaria tua mão
de papa, de monarca
por um pouco do que ela abarca
na mais ínfima sensação -

Se o meu suspiro eu sussurraria
para dentro dos teus lábios
nos meus versos tão impávidos
de devoção, de calmaria -

Se eu me perderia no teu olhar
e quem sabe tocar as estrelas
bordadas nos vestidos das donzelas
sem medo de me entregar -

Se eu coraria no lisonjeio
meu no desejo do agrado
que já não se vê mais guardado,
meu para ti, sem receio -

Se eu me permitiria o ganho
de sorrisos perante verdades
tão possíveis nas nossas idades
e a ninguém deveria ser estranho -

Se eu me apaixonaria por ti
de uma vez por todas, dada a chance
de entrar mais neste teu transe
em que não escondo que caí -

A resposta seria sim, lua minha.

12/03/2018

domingo, 25 de março de 2018

Platitudes

Sei que amo a ideia que de ti eu fiz,
o pouco que te conheço,
como o cliente e a meretriz
que num beijo discutem o preço...

Nem por isso te amo menos.

Sei que ainda te amaria
na tua frente, em outras faces,
nos meus olhos e sorrisos sem disfarces;
a velha nova paixão voltaria...

Eu me conheço nesses medos tolos.

11/03/2018

sábado, 24 de março de 2018

Não é nada, é apenas o fim do mundo

Aqui estou eu outra vez. Arrebatada nova e talvez irremediavelmente pelo cinema jovem, detalhista, introvertido e, acima de tudo, humano e destemido do também jovem diretor, ator e roteirista quebequense Xavier Dolan.

Como já conhecia seu trabalho através de outros filmes, no caso "J'ai tué ma mère" e "Les Amours Imaginaires", esperava de sua mais nova e premiada joia, "Juste la fin du monde", nada menos do que o habitual - cuidado aos detalhes, silêncios que gritam e verdades latentes na superfície e debaixo do texto do próprio Dolan.

"Juste..." é o frescor do cinema quebequense combinado ao peso de um elenco francês que começa com Gaspard Ulliel como o protagonista Louis, passando por Marion Cotillard, a efervescente Léa Seydoux, Nathalie Baye e Vincent Cassel. Acho que não poderia dar em outra coisa que não uma Palma de Ouro no Festival de Cannes de 2017, em meio a aplausos e ovações após a exibição.

Talvez mais do que nunca Xavier tenha mergulhado no silêncio. O significado simbólico das poucas luzes e cores utilizadas, em sua maior parte escuras e tons de azul, contrasta com o caos vivido dentro da casa onde a ação ocorre e na mente de cada personagem.

O trailer engana. Sugere que apesar de tudo, aquele era um reencontro, um almoço em família, que algo de bom poderia acontecer e ser revivido, afinal. Não era o fim do mundo.

Quando, na verdade, tanto já havia morrido e haveria de morrer; tantos mundos já haviam se acabado.

O que será que pesa mais? Tudo o que é dito nas frustrações e medos; o que na verdade está por baixo dessas palavras; o que não se diz com a voz porque com ela não há nada mais a ser dito; ou o que não é externado, na espera do momento certo que nunca chega? Momento certo que não existe?

No  fundo a gente sabe que quando muito tempo passa e nada se faz, muito se perde. Pessoas podem não se conhecer de jeito nenhum, ou apenas como uma ideia; outras que acham que se conhecem, arranham na verdade apenas a superfície uma da outra. E mesmo num contexto assim pode haver entendimento, respeito e consideração, de onde menos se imagina.

O que poderia unir as pontas soltas, nem que fosse por um momento, na realidade só contribuiria com a dor e a bagunça, porque em muitos sentidos já era tarde demais. O arrependimento e o amor não mais seriam o suficiente.

23/03/2018

sexta-feira, 23 de março de 2018

Own time

As long as I see flesh and blood,
I can wait a century -
a new soul, a new memory
ready for the season's flood.

As long as you break every bone
till all left is its marrow
eaten by the holiest sparrow
my hope in this shall not be gone.

As long as you look out and search within
and this word is on its own,
a beating heart upon the stone,
here's what I'm believing in.

And long as you laugh and cry and are proud
and feel you are right over there
I go with you, I dare
to want to touch a cloud.

10/03/2018

quinta-feira, 22 de março de 2018

Tolices

O que eu temo não é o amor.
Eu o amo, eu bem o conheço.
Meu medo é da alma nua,
rasgada de torpor,
não sou tão forte quanto pareço -
ainda estremeço ao sair à rua.

A morte deste instinto
de saber o que quero e o que sou,
o lindo de ter a mim;
porque me entrego e nunca minto
em tudo o que a boca negou
mas vive em sangue carmim.

Qual é o sentido
de grudar o amor na razão,
ao que não lhe pertence?
Importa tanto um coração partido
ante a beleza da oração
da verdade que sempre vence?

10/03/2018

quarta-feira, 21 de março de 2018

Em nada

Não é nada, não é nada...
Quem dera aquele abraço agora,
que nunca de verdade vai embora
e faz de mim a mais amada...

Não é nada, não é nada...
Volta a calma do peito,
tudo na vida tem um jeito
até que se dê a última tacada...

Não é nada, não é nada...
Por mais doído o choro
ao final vale mais que ouro
doce a joia salgada...

Não é nada, não é nada...
O silêncio da mente é mentira
em que não importa o quanto te fira,
logo há de ser calada...

05/03/2018

terça-feira, 20 de março de 2018

Chama-me rabugenta, se quiseres

Por mais que às vezes pareça que a solidão vai me matar por causa de até onde consegue levar meus pensamentos, certas coisas nela me alegram e podem ser vistas por um lado positivo. Ela sempre esteve aqui, afinal.

Os anos me deixaram chata, seletiva. Endureceram meu coração, mas com isso me ajudaram a saber o que mereço. Ensinaram-me a ter paciência, apesar da dor, e me disseram a maior das verdades: estou aqui para aprender e o melhor dom de todos é a curiosidade.

Sei que não posso virar escrava da minha solidão e melancolia - são elas que me pertencem, não o contrário. É só olhar o que a depressão pode fazer com alguém e o que fez comigo; tudo o que quase tirou de mim e deve ter tirado para sempre. É por isso que fico alerta.

Mas ela me alegra no sentido de que eu prefiro ficar aqui, quietinha, dando o meu melhor e provavelmente reclamando um pouco da vida entre dentes e aprendendo a dar valor à minha própria companhia, do que me envolver com coisas e pessoas que em nada me acrescentam.

Exigente com os livros que leio, com os lugares que visito, filmes que assisto, gente com quem convivo, a música que ouço. Talvez para não ter medo de sonhar alto ou deixar de enxergar e esperar o melhor do mundo, dos outros e de mim. Só assim eu posso crescer de verdade, independentemente de qualquer coisa.

19/03/2018

segunda-feira, 19 de março de 2018

Dans ma fin

All those kings and queens of old
and their stories that I am told
of empires that rise only to fall
when greed burns brighter than a man's control...
In many I see much of me,
the heart of the lion I deserve to be...
And I know it is fierce, but also naive
clinging to certain things you believe.
But sometimes I wonder if now wheeled is my throne
and once I was a queen upon a castle of stone.

28/02/2018

domingo, 18 de março de 2018

Moonshine, sunlight

I

My golden lord,
this is all your fault.
You put love in my heart
and a pen in my hand.
My soul adored
tasting this sweet salt;
now I know Destiny,
I embrace thy power -
poets, gods and queens
don't bow any lower.
Yet, you smile and they burn,
you teach your lesson and they learn.

II

My silver lady,
I look up and think of you,
I smile
at how you are free
and wild in your purity -
You're all I am
and all I wish to be.
Womb empty, soul so full.
Love of yours and my own brother
whose sounds I hear at night...
You and your maidens, your might is mine.

26/02/2018

sábado, 17 de março de 2018

Como ele se pôs

Talvez o céu
se curve e fique vermelho
porque o sol se despe do véu
e das guerras sirva de espelho.

Em sua vergonha
e sangue fervente
que conquista tanto quanto sonha
em ser mais que mero servente.

25/02/2018

sexta-feira, 16 de março de 2018

Insomnia

There were nights when that one,
the fakest, handsomest lover
had me in his grasp, nowhere to run,
trying to conquer, trying to flatter
between screams,
wouldn't let Hypnos come.

Since one is so like the other,
so good a boy, child of his mom,
it was among darkness and lies
so deep and loud a girl begs and cries
that he came instead
smiling from across the bed.

I contemplated it,
the fire and beauty in those eyes...
Thanathos.
But I'm sorry, I'm too scared
to just do it and die.
Sweetie, your sisters know well
it's not yet the time of you and I.
However small, I love this life
but just wait for the scissors
and the bell -
only then I might become your wife.

25/02/2018

quinta-feira, 15 de março de 2018

Devaneios suspensos

Não condene meus sonhos
de poeta
quando eles são tudo o que
tenho
e não há prega no meu cenho
apesar da chama
inquieta.

Chame-os pequenos ou grandes
demais,
nada disso muda o real
de que conhecer o bem
e o mal
não é tarefa dos nossos
ingênuos pais.

Se o mundo explodir
à minha volta,
pouco isso me importa
já que a minha revolta
faria qualquer castelo
tremer, ruir.

Que me importa a política
quando ela é feita
por um homem
e homens são fracos e covardes,
eles somem
quando não lhes serve a dinâmica.

Que me importa se as chances
são pequenas
quando um filho deixa o seio
exposto ao receio,
azar de agora
e de antes...

25/02/2018

quarta-feira, 14 de março de 2018

Ghostly dearest

Does she even exist?
Who knows! Not her, not me!

Evidence is there,
so they say.

Some verse of double fist
along with thee...

About women who dare
to wish for a brighter day.

25/02/2018

terça-feira, 13 de março de 2018

A fool's desire

I'd cross ocean and sky
just to taste summer twice.
I was born in winter, yet I die -
my heart into a block of silvery ice...

I'd cross worlds and meridians
to play a trick on time
and not to feel so orphan
but young at heart, at my prime...

25/02/2018

segunda-feira, 12 de março de 2018

Concealment

- How does one crush
this I keep in a shush?
This that feels irrational
making me a blessed animal.
End my misery!

- Rest thy weary brow
over my hard bosom
and close your ears to the crowd,
this that you carry makes you wholesome!

- Existence is futile...
Blooms as fair as a rosemary
but suddenly, in a while
may turn a burden too hard to carry...

25/02/2018

domingo, 11 de março de 2018

Tagarela saudade quieta de amor

Perdoa-me,
a solidão me cala demais
e eu quase perco a voz.

Abraça-me,
imaginas a falta que isto faz
a este coração tão feroz?

Acompanha-me,
sabes que o silêncio é confortável
e o teu, ainda mais amável.

Ama-me
neste meu amar inábil
e ainda assim, louvável!

25/02/2018

sábado, 10 de março de 2018

Letter to Naboo

I ran into the dark
for you are my light,
name taken in mad lark
to save you in all might.

My own blood the one in which I bathe
and there is no coming back.
Had I known I'd still be a slave
your hands wouldn't touch this lovely neck.

Forgive me, love mine, my majesty,
it was I that let you down,
but they are also the ones to blame.

Had they told me anger is not a shame,
we could have stopped all this tragedy
and we'd be more than we are now...

24/02/2018

sexta-feira, 9 de março de 2018

Enganado

Esse olhar cansado
caído no coração pesado
de presente vazio, amargo passado
e a velha noção de pecado...
Nem sabe o quanto é amado,
o quanto te querem ao lado
em todo o teu ser apaixonado.

24/02/2018

quinta-feira, 8 de março de 2018

Nada a menos

Não consigo dar menos que fogo,
mas olhando para a minha alma
tão grande que cabe na calma,
conheço o outro dado do jogo.

Dá para viver com frieza,
embora poucos aguentem a chama.
Quem sabe onde pisa não reclama
e a paixão permanece ilesa.

Não consigo ser menos que devota
porque sem isso, quem sou eu?
Tudo de mim é sempre todo o teu
e nosso até a última gota.

Coração gelado feito as mãos
sujas deste sangue sempre quente
que sabe o que quer, o que lhe é urgente,
o que preenche todos os vãos.

24/02/2018

quarta-feira, 7 de março de 2018

Holy war

No wonder Ares took Afrodite
as his lady, his wife.
The bloodiest wars,
the most brutal fighting
takes and takes and takes
for what gives a man
the spark of his life.

24/02/2018

terça-feira, 6 de março de 2018

Undared

I did as I was told,
I did what was right.
But truth never gets old,
ah, how I miss his light!

It is odd, the silence of Heaven,
the absence of his laughter...
Would I ever be forgiven
for a heart that regrets slaughter?

I wonder if the fight was even,
if I did the best for father and son -
the sweetest fruit in the garden of Eden
was his desire to run, run, run...

24/02/2018

segunda-feira, 5 de março de 2018

Thorned silk flower

Of course she's still herself,
so beautiful and unique among
that many a men.
For what she had and made you melt
was a fire so quiet, so strong,
even they had no doubt
that from within and without
she'd be taken as their queen.

24/02/2018

domingo, 4 de março de 2018

Bewitched

My greatest pleasure
ia to please you.
Were you a statue,
I'd still kiss you.

She was right at the end,
of course beauty is terror...
Have you heard of the devil?
Oh Mary, take my hand,
weep for your son and my error
and how you scare me, so mellow!

Such a muse, such a lady,
if I met her I would just bow
so very willingly, never shady
and taste greatness like one I've never known.

24/02/2018

sábado, 3 de março de 2018

Liogress

I, avid seeker, ruthless hunter
for souls and hearts akin...
A beast knows other beast, my wonder,
and I am glad you let me in.

You were right, mistress!
They carved us in the forests
of quiet, peace, scream and distress
and placed it within our breasts.

No darkness we fear
but our own.
No fire burns brighter
than that of the soul.

You, so like the wind,
and how I envy
your free heart, your free mind
and yes, we deserve plenty!

I who wish for the lion
see the stripes under your pores;
release me from a chest made of iron
and I shall win with you all wars.

23/02/2018

sexta-feira, 2 de março de 2018

Remarkable

Between every lipstick stain,
at the core of the old pain,
where there's nothing we can feign,
our bloods run down the drain.
And yet, we remain.

22/02/2018

quinta-feira, 1 de março de 2018

Sinas

Vamos com medo,
mas mesmo assim, vamos...
E ao avistar o arvoredo,
se preciso for,
descansar sob seus ramos...

Eu aqui e o meu amor
ingênuo pelos poetas desgraçados -
tu também, neste fervor
de versos em tinta nunca gravados
e que poucos ouvirão...

Destas almas maiores que o corpo,
amigo meu, o que dirão?
Asas e cantos de tordo
elas serão?
Devem ao menos valer a visita...

Porque talvez a coisa mais bonita
não seja o destino, mas o caminho
em separado que não se faz sozinho
quando se ama e se acredita
em si mesmo, no outro e no que há de puro...

E o nosso futuro
que se avista daqui no topo dos vales
parece um pouco mais seguro
quando sabe que mesmo com os males
estamos apoiados no mesmo braço...

Pode vir, fracasso.

22/02/2018

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Transfigured

I used to love marble,
a white beauty as such,
the smoothest cold touch,
a steady one that could crumble.

As much as what this poet hand could carve
in the smallest detail
and of a heart so hard and pale
this heart of mine would starve.

None of this I ever minded
for that is how it works in love
until when I'd raise my eyes right above
only stone would be beholden.

19/02/2018

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Sangria

Segurei o coração
na mão
como se pudesse
impedir,
esconder,
matar,
evitar
a emoção.

Mas não adianta
a enganação
pelo que assim não morre
porém escorre
por ser tanta...

E de qualquer jeito
a gente vê
e tu acabas por saber
do que estava no peito -
o amar
do meu olhar,
intensamente imperfeito.

18/02/2018

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Deixa

Deixa, deixa ele ficar
por mais que uma estação
ou uma só temporada.

Deixa, deixa ele andar
ao lado do meu coração
em similar estrada.

Deixa, deixa ele me amar
e ser meu irmão,
eu não quero mais nada.

Deixa, deixa ele ser lar
de pureza e gratidão
aqui dentro semeada.

Deixa, deixa ele me abraçar
e eu caber na palma da mão
como a Pequena sempre lembrada.

06/02/2018

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Trova

Ao bater da hora que tu quisesses
eu chegaria só para te ouvir
amar cada uma e todas as mulheres
que em mim possam existir.

A que foge e fica contigo
e nada importa, mas tudo bem.
porque não existe maior abrigo
que os nossos braços, então vem!

A que não teme mais a morte
pelo tudo vivido ao teu lado...
Tamanha há de ser minha sorte
perder o corpo no teu espírito amado.

A que pelo paradoxo se derrete
perante o som de leve deboche
na voz que para entrar me pede
e no fundo sabe que não pode!

A palavra mais bonita, a amante
tão querida, a maior amiga
que jamais fica tão distante
quanto a encruzilhada mais antiga!

15/02/2018

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Flirtation

Don't bat those lashes
at me like this!
Unless you wish to turn me into ashes,
just give me some peace!

Let us raise our glasses
to the beauties we don't miss
and amaze the masses,
show them all what is bliss!

Mind yourself, you magnet!
Sometimes polar opposites crash
together and there's no fragment
of the monster we can unlash.

Dark, graceful cat that watches
the stars up in the sky and the bottom of the pits,
if you tell me we are lost causes
I may believe your every hiss.

Don't you smile at me
over stags and swans
for I know the surface can hide the tongues
and claws that wish they were free.

Don't tell me of Apollo and his moon-sister
or how you love the music in a rhyme!
For you I have embraced my inner crafter,
are my words worth a dime?

11/02/2018

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Jogo de azar

Vem, ganha meu coração,
arrebata-me se for capaz,
deixa de frescura, rapaz,
podes tu prever de mim um não?

Olha pra mim e me surpreende
com uma outra face, um sorriso...
A verdade é que pouco é preciso
e logo esta alma se rende.

Tudo o que quero é ser bem-vinda,
então faça de si um lar
que eu não queira mais deixar
e não haja coisa mais linda...

Dá-me do teu fogo uma centelha,
não precisa ter medo!
Amanhã, tarde ou cedo
mentira também fica velha.

Mostra a cara e paga meu preço
mesmo que te pareça caro.
Amor feito o meu é artigo raro
e menos que isso eu não mereço...

10/02/2018

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

A maior das novas musas

Mesmo que só por um segundo
posso fazer de ti a mais venerada
e não haverá ninguém e mais nada
tão lindo quanto a luz deste dia
em que somos só nós no mundo,
eu a teu serviço, rainha...

Se por este breve momento
eu me permitir olhar e ver
e mais do que isso, enxergar
vindo de mim e de ti, este poder
trazido talvez do firmamento
para somente alguns adornar...

Te entrego tudo o que merecemos,
oh, tamanha obra de arte,
monumento mais que sagrado
que me cede a honra de fazer parte
dos versos que matam de tão serenos
e embelezam meu presente e passado...

Que suaviza meu olhar,
afia a minha pena,
minha espada que sussurra a cantilena
que aos deuses eu tento elevar
depois de conhecer teus reis
e também tomá-los para mim, de uma vez...

10/02/2018

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Straight champagne or Veneration

Upon your tears
I'd throw roses.
Upon your smile
I'd free the horses.

Upon the passing of years
I'd repeat the doses
through quiet and hostile,
hail the new heirs.

Upon your kind request
nothing I would deny.
Upon the ground or a nest
I'd drown in this sky.

Upon you
I'd raise toasts.
Upon your velvet and sheer
I'd never fear ghosts.

28/01/2018

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O mundinho cor-de-rosa de Haroldinho

Hoje me deu vontade de escrever uma resenha, por assim dizer, mesmo este não sendo meu hábito ou tipo textual favorito e mesmo já tendo ouvido este disco outras vezes.

Torcia meu nariz para este rapaz e para o que ele cantava muito por causa da boy band de que ele fazia parte. Ao longo do tempo, tive a sensação de que o moço se daria bem numa carreira solo... O que acabou se confirmando.

Tendo notado parte do metal de sua voz de cabeça ao ouvir com atenção no rádio uma das últimas canções lançadas pelo 1D (na época ainda sem saber quem era seu dono), meses depois que o disco  de estreia Harry Styles  saiu fiquei curiosa em descobrir as outras partes de seu registro e que tipo de som ele produziria em seu próprio trabalho.

Tive uma grata surpresa.

O álbum me parece muito maduro sonora, estética e liricamente para alguém tão jovem e em sua primeira tentativa de mostrar do que é capaz por si mesmo (fugindo completamente do que produzia no formato anterior); que está satisfeito com o resultado, sabe do que gosta e quer para a carreira, cercado dos mais renomados profissionais em termos de divulgação, produção musical e até mesmo aqueles que fazem parte de sua banda de apoio (que conta em especial com um excelente guitarrista, uma apaixonada baterista e uma pianista de muito bom ouvido). Que ainda tem muito a crescer e aprender como cantor, músico e compositor.

E não à toa tem como primeiro single e obra-prima a muito elogiada e tocada "Sign of the times", de mensagem aparentemente simples, mas que se faz aos poucos grandiosa por conta de sua instrumentação, os vocais poderosos de Harry e seus backing vocals/companheiros de banda e inovações na linha melódica ao longo da canção. Hoje posso dizer que SOTT me fez morder a língua e realmente prestar atenção em Harold como artista, que de fato é talentoso e promissor.

Claro que Styles não há de permanecer como cantor de apenas uma canção apesar das rádios e já tem certo status na mídia muito por conta de sua trajetória anterior, mas tenho certeza de que ainda muita coisa tão boa quanto SOTT há de ser produzida se ele for cuidadoso e sensível o bastante. Certamente o rapaz já tem noção do alcance deste primeiro tiro e, assim como aconteceu com Hozier e "Take me to church" deve ser a partir daí que ele guiará suas escolhas no futuro, mesmo que não alcance sozinho o mesmo patamar em que chegou com o One Direction.

Segundo o próprio, ele não parece se importar se isso não se repetir, o que não requer menos atenção com o que ele faz e fará.

Com certeza o que me fez gostar deste álbum como um todo e que o mesmo crescesse em mim com o tempo apesar de tudo foram os vocais adultos do cantor, cuja voz na minha opinião pode muito bem transitar por vários gêneros diferentes, e os arranjos das canções, que remetem ao rock, baladas rock e country dos anos 1960, 70 e 80. Não sei se a intenção foi necessariamente prestar homenagem à música criada nessas épocas, mas considerando seus artistas favoritos, a influência é clara sem perder o frescor de ser composto e cantado por uma voz da minha geração.

Não quis ser muito exigente quando parei para ouvir pessoalmente (pessoalmente porque já havia ouvido as canções com menos atenção e em partes através de comentários em tempo real gravados para o YouTube), mas fiquei contente em notar nele coisas que eu ouviria e ouço sem piscar e que fogem do mainstream que geralmente se encontra nas rádios. Em especial pelo belo uso das guitarras, violões e ocasionais outras cordas, como os violinos.

Mesmo nos casos de pouca substância lírica e até repetitivos versos como "Ever since New York" e "Woman", o que compensa e não me faz desgostar delas é justamente o arranjo diferenciado, as harmonias delicadas e as linhas melódicas.

Talvez a própria performance ao vivo de Harry e a paixão com que canta me fizeram me acostumar com a talvez-longa-demais introdução de "Only angel" e com que a pesada e ousada "Kiwi" crescerem no meu coração roqueiro (mesmo a última não estando entre as minhas favoritas). Se fosse a um show certamente seria vista cantando o refrão a plenos pulmões como qualquer outro ali presente... O rapaz consegue comandar bem uma plateia sozinho, usa bem o corpo e toma o palco para si, pelo que consegui ver. Isso fica cada vez mais evidente com a carreira solo.

O mesmo acontece com o tema talvez batido de "Sweet creature", que acaba me aquecendo por dentro num dedilhar que me soa como carícia, uma melodia fluida e um vibratto limpo e bonito.

Um álbum que no momento faz jus a quem o canta e que pelo conjunto geral eu me orgulharei de ter na coleção quando possível. Fico no aguardo para o que mais do um pouco de tudo o mundo de Haroldo tiver a oferecer... Meus cumprimentos ao Mitch!

07/02/2018

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Miss inspiration

Like a bird
full of will
that can't sit still
you leave, no goodbye word.

But I don't think
I can read myself of you -
so there's little I may do
but to wait
'till I shall win you back anew.

02/02/2018

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Aestheticism

I want you on my wall
just because you're pretty
and we deserve it all,
my sweetie...

Right there, quite tall
over this city,
no fear to fall
or feel dizzy.

Your eyes, I shall recall,
so witty
from down the hall
and who's greedy?

What may seem banal,
even silly,
is here to enthrall
and free the guilty.

05/02/2018

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Battle cry

Girls,
grow your nails out,
this wretched world
demands it.

Wear your smiles
like pearls,
let your truths out loud,
you know for what you are fit.

04/02/2018

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Reward

Eyes lost,
barely daring to look,
- they know their hook -
hands behind the back
of my own cost
for this knick-knack.

Pat me
- and speak tenderly -
was I any good
a boy, have I made us happy?
Have I given you all I could
in a softness so raspy?

02/02/2018

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Agraciado

Não pensa que pode
entender uma mulher,
o que ela pensa, quer,
sonha e aqui esconde.

Mas faça por onde
e tenta conhecer
todo o oculto sofrer
do coração que explode.

Beija como quem morde
fruta em amadurecer
e deixa o sumo escorrer
até o próximo acorde.

Escala sem medo o monte
para em troca receber
pelo suor desta fronte
tudo o que ela te der.

30/01/2018

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Bombeada

Não olho
no teu olho
não porque escolho
mas por medo
de mim
e do que me arrependo
com culpa mordendo
e lágrima escorrendo
até o fim.

Teu olho
sempre tão castanho
não me é estranho
ou segredo
que traz sossego
pra este ego
cheio de embrolho.

Quando eu
te olho
ganho um espólio
digno de capitólio
só meu
preso na luz
dos olhos nus
tão teus.

30/01/2018

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

A carta

Se é por saudade e amor
que escrevo-te outra vez,
que seja como no ardor
do dia em que a luz se fez.

Em nome da sagrada calma,
essa que só de ti vem
trazendo conforto de cama
e fundo me toca, meu bem...

As dores e alegrias só minhas
mas que no fim também são tuas
e lemos confiando nas entrelinhas
das confissões mais cruas.

Bobagem em novo idioma
que só cabe a nós entender
e apreciar de todo o aroma
desta flor que se viu nascer...

Canta manso este corpo sozinho
quando a lua sobe e anoitece
lembrando do estrago do carinho
ganho e dado que permanece.

30/01/2018

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Humbled

O, mistress, teacher mine,
this swollen heart upon your smile
that mirrors sacred sunshine
is blessed like rain to the Nile.

Come and take part on this dream!
Show me your paths of dark and gold,
how it feels to be young and bold
in every whisper and scream.

Gesture with the wise hand I held
the smooth, yet dangerous tide,
the sweet salt that can be smelled
if one only dares to take a slide.

Speak into my being in awe
what you think of this fool
who lives under his own rule,
also thirsty for your law.

Excuse me as I sit upon your table
without bringing another word
or caring about any lable,
look at what you've stirred!

30/01/2018

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Proven right

You gave me all you had
in all I ever wanted,
all for which I am mad
and the gods had us granted.

All I wish for you and I
to show and then conquer
because true heaven is there, up high
waiting with every wonder.

And I didn't even have to ask
for us to lock eyes and you say
you were fit to this hard task
and welcome the disarray.

You dont know me,
yet make me proud
for finding the key
to set fire to the crowd.

30/01/2018

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Rememberance or Per la cara mia

And that's what happens
when you look at passion,
at fire,
at a true queen.

One smiles and remembers
fate while forgetting caution.
One no longer fears the pyre
and all else in between.

Upon her gaze one surrenders
because she knows what you mean -
you both are no less than mistresses
of the mansion that is the world -
its very Sires.

And you cannot help but join
her and end up clean.
A knight, a mate, a soldier
when all they do is admire
her gracious verse and intuition,
remaining one who writes, conquers!

More than ever you become a force,
you get to know the beast
who deserves every feast -
your roar is loud and hoarse.
All because after what you've seen
you are one of the commanders
and what is hers is also yours.

09/02/2018

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Speakeasy

Doing what some may have done,
adressing me for what I am
between a whisper and a hum,
the sly dog strikes once again.

What is it that he so wants
talking about being jealous
in all these little sounds
I must confess are marvellous?

May be giving his best
and showing his colors
as though life was a test
to which he works and bothers.

May be just a proud statement
or the intention to win
back what he feels latent
because of a bottle of gin.

26/01/2018

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Deal

Suddenly you are twenty-three
and should have life all sorted
trying not to think of how morbid
is not knowing where else to be.

Don't ask things from the devil
cause he might give them to you -
do you think you have the metal
for the wave that shall come through?

Keep the money bill at the ready,
you never know when he may come
saying he just wants to drink some
and watch trash on the telly.

For a piece of you and one hundred,
a bit of peace and a home
but all others are discarted
by the beating of his drum.

11/01/2018

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Confessionário

Histórias talvez tuas
ou coisas que viste pelas ruas
de sacanagem gritada
e tanto mais que não deu em nada
dito bem de perto,
no quase escuro
sem furo
com tempo encoberto
como se não houvesse ninguém
que te ouvisse
respirando em saliva
aveludada de carícia viva
da meninice.

25/01/2018

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Coisa nossa

O único que entende
a linguagem secreta
de um poeta
com toda a indireta
é quem não se prende
a regra reta
e desperta
de sonho vivente
com poema sem caneta.

24/01/2018

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Tanto faz, na verdade

Te deixei esperando no corredor porque no fundo nós sabíamos que isso aconteceria. Todas as vezes em que fomos anjo e diabo na vida um do outro e a ternura que vinha disso jamais vão compensar tudo o que precisava ser dito, mas não foi.

Foi como ter uma amostra do paraíso ainda em vida, mas conseguir escapar para o purgatório depois de arrastada para o pior inferno. Um lindo inferno, mas ainda assim... Talvez a juventude e o próprio tempo nos faça ver tudo isso por uma luz mais amena, mas não tenho como fazê-lo agora.

Tão lindo o que escreveste para ela... O que quer que tenha acontecido entre vocês deve ter dado mais certo do que daquela vez. O que ela tinha que eu nunca tive? Acho que na verdade tanto faz; alguns devem estar orgulhosos dela.

Assim como tanto faz se eu dei o que era teu para outra pessoa quando poderia ter queimado aquilo. Talvez porque era muito caro e bonito, ou poque eu queria que me servisse de lembrete. Lembrete e até lembrança. Pode ser que eu já tenha dito isso, mas tanto faz, na verdade, já que acabou...

23/01/2018

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Even better when undressed

Not that you needed,
but you've exceeded
yourself and gave me proof
you're high up in the roof
for a good reason,
certainly more than a season
carving your name
and things are not the same.

You said here's your new saint,
how she looks when they paint.
it was I that gave her the crown,
I promise she wont let you down.

You took off the mantle,
people can barely handle!
away goes the veil
and she shall prevail!
They know how she was born,
stripped in what was sworn.

21/01/2018

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Proposta

Eu fiz o que tu me pediste.

Te abri meu coração e mente
como uma mulher abre a blusa
sem medo de parecer obtusa
em tudo o que lhe faz diferente.

O que eu vi foi um dedo em riste.

Mostrando para toda a gente
que acha que sabe e abusa
em querer decifrar a musa:
o que interessa é a tangente.

Um jovem também sabe ser triste.

Consegue viver no rente
da sensação mais confusa
e pede por paz reclusa
para plantar nova semente.

Foi aí que tu sorriste.

Peguei-me te olhando de frente
alto nas botas de camurça
com tudo o que se tem e se usa
conquistado a unha e dente.

24/01/2018

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Morning tune

I have people I love and write for,
none with whom to harmonize
out my pain in a roar -
am I a useless bingo prize?

All that's left is my own voice
either just tired or freshly awoken,
the chest one, sort of broken
by the night that was so nice.

Who knows if each layer,
its every card upon the table
will prove themselves later
and truth comes out of the cable.

Parted lips, a soft breath
stroking young chords
and we know what's underneath
a lord's fancy robes.

21/01/2018

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Yerba buena

Se tua voz fosse gosto
que fica e pinta a língua
até quando se morre à míngua
com o coração todo exposto...

Seria pungente, seria amargo
que rasga a garganta, mas aquece
como resposta a uma prece -
instrumento, jamais um fardo.

Erva bendita da comunhão
cedo da manhã ou à tardinha
ao alcance da mão,
para alguns apenas daninha.

Pode até tirar o sono
enquanto dá cor ao sonho
mais único e risonho
das tardes de outono.

Simplesmente fica na memória
tanto faz o paladar
de quem dela provar,
um luxo de vanglória.

21/01/2018

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Greatest yearning

I miss you kind of like I miss myself
and my book, lost around some shelf.
I miss you like all I havent lived
but that doesnt mean I'm going to quit.

I miss you and sometimes I feel so lonely...
It's just a matter of time, you've told me.
I miss you and the beauty of my past;
let's hope at least this can last.

I miss you like every other new chance
that I have let pass by my glance
as much as the warm brown of your eyes,
truth of love inside my pack of lies.

I miss you and yet here you stay;
you shall if you wish just because you may.
I pray that at heart I remain a child
still able to dream big, pure and wild.

20/01/2018

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Rendesvouz

When warm copper
meets silk satin
up the ladder
to ressucitate latin.

When melting butter
touches crispy bread
only to mutter
promises from ahead.

When sly kitten
smells soft rose
never being bitten,
even this close.

When dirty green
glances piercing blue,
what they mean
must be true.

19/01/2018

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Writing paradox

We write about death
but cling fiercely to life.
We write of bloods
still pumping through the darkest night.

We write of loneliness
celebrating common wholeness
of the welcomed word
that is never deferred.

We write of hearts that break
as though the world could never mend
the tears that came in the end
when we put all of ours at stake.

13/01/2017

domingo, 28 de janeiro de 2018

A queda

Parece que cada dobra
é sinal do que a vida nos cobra
em sorriso e preocupação
de passagem que nos mata,
quer a gente goste ou não.
Agora acho que entendo;
deve ser coisa do tempo.

13/01/2018

sábado, 27 de janeiro de 2018

Os sonhadores

Só me diz que tudo vai ficar bem,
que ainda estaremos aqui, os dois,
quando o mundo acabar e depois
que nenhum de nós for mais refém.

E tudo aquilo que não somos
ao chegar de uma nova manhã
pois sou aquela que te acompanha
talvez desde antes da contagem dos anos.

Só me diz que esse medo é só meu
e que ele não há de me matar
pra te deixar aqui, neste lugar
como esteve o moderno Prometeu.

A solidão das costas despidas...
Dói mais depois do que na hora,
quando todos já foram embora
e não querem olhar as feridas.

12/01/2018

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

On love and writing

Silly me, I thought you knew
my hand was raw, but sweet,
fit for only a few
like an ordered fancy shoe.

Tongue sharp in its beat,
can make you happy or so blue...
The peril is all up to you
to give a try to this heat.

12/01/2018

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Behind the myth

Have you heard of his cool hair?
He's got some style
and a cheeky, dirty smile
on his boyish face, ready-to-wear.

You wish you were a ring
around those fingers that certainly stroke
a rosebud at the beginning of spring
and someone's face without a joke.

There cannot be a girl under his eye
that word of mouth shouts "womanizer,
heartbreaker, can only say goodbye!",
as though it made them any wiser.

Have you heard of how his voice
is so soft, yet raw around the edges
when it echos palpable pledges
born without much choice?

You wish you brought up the dimple
that made him like a child
despite the forehead wrinkle
from when the times got wild.

11/01/2018

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Waltz of exchanging hands

My hands are not to be trusted,
not when it's so easy to spill tea
and I used to get all flustered
when you were any closer to me.

Not when they looked for every excuse
to have you under their touch,
both a craving and muse
of lines that said too little and too much.

Not when they can hurt someone
as much as they can love them
but in the end, what's done is done
scratched a boy when they need a man.

Not when they dont feel so cold
but your pocket seems like the only shelter
not caring if the move is bold,
because they just didn't know better.

Not when they thought they could slap
all those others across the face
and then give you a map
of the ways you walked to my grace.

Not when they would itch and tremble
at the dream of stroking your hair,
back of the neck and temple
just any time, anywhere.

Not when they held on to the memory
of contact out of ill will
that I liked to think of in a scenery
with us climbing up a high hill.

10/01/2018

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Amor de passarinho

"Eu te quero
e tu me quer
como um par
de quero-quero".

Ao som de velho bolero
que devagar faça esquecer
o quão triste é amar
quem não nos é sincero.

Beijo com gosto de tempero
de asa com asa envolver
em conforto de ninho e lar
o sim que ela vir dizer.

Quieto querer, eu espero
que pelo menos ao saber
da razão deste meu cantar
quem sabe sorrir ao que venero.

Perdoa este medo tão austero
que me obriga a me esconder,
a retrair e até mesmo negar
isso que se fez tão próspero...

Perdoa tudo o que eu considero
tolo, mas difícil de vencer!
Essas vozes que vêm em mar
que eu deixo quebrar e me conter!

07/01/2018

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Destino de Amélia

E com a tal da solidão,
como é que se lida?
Será tentando resolver a vida
e a injustiça mais doída
que avermelha a tua visão?

Não há mal em viver do pequeno
prazer de sonho e outro sorriso,
tal deve ser o paraíso!
Mas não se ignora o aviso,
a chance da vida, o aceno!

A menina boba não deixa passar
e sim procura a Coragem -
que elas deixem de bobagem,
corram a acumular bagagem
sem nunca desviar o olhar.

Paciência para ver a coisa como ela é
tentando se proteger da ruína
que parece ser resultado de sina -
quisera que a linha não fosse tão fina
e ela nada precisasse fazer...

O que fica só guardado
pode esconder surpresa,
no fim acaba e pesa
como elefante na mesa
que de tão gordo vive em éter calado.

06/01/2018

domingo, 21 de janeiro de 2018

Diga ao povo que fico ou Poema Bairrista

Pretendo contigo ficar
porque acho que acredito
no teu mito,
me parece tão bonito
o que ainda pode mudar!

Não tenho nenhuma pressa
de pensar em abandono
a solto sono
do sul e do trono
que mais me interessa.

Ainda aqui permaneço
por não me achar sortuda
em esperança absurda,
oferecendo ajuda -
por amor e apreço?

03/01/2018

sábado, 20 de janeiro de 2018

My poison

Bang -
and there's a wall;
damn -
am I at free fall?

Gosh -
this is going so fast;
shush -
a forever it should last!

Oh -
I think I am drunk;
wow -
it was you that got me sunk.

01/01/2017

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Carícia

Cascateando pelo teu rosto
a guardá-lo e o esconder
do mal e do suposto
medo que tens de crescer.

Cortejando teu queixo
em tocar que mal se atreve
a parecer mais que beijo
que deixa rastro de onde esteve.

Ousando tocar tua boca
para derreter na palma da mão
mesma que me dá liberdade tola
de fazer de ti um leão.

01/01/2018

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Pathos

Nothing is more dangerous
than a woman's heart,
hell hath no fury
like a woman scorned.

Each beating a command
from the most ruthless queen
her crown molten in gold
and pretty;
she's not afraid to want,
she is greedy.

Lies in a bed of thorns
and wakes only with petals
that caress and tend
the wounds from your battles.

31/12/2017

Letícia Bolzon Silva and Spoons

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Cupid

I guess we have history enough,
have been through a fair share
of raw emotion and bluff
about which so little do care.

That gives me authority not to lie;
you are not the same when you come alone,
but without you, oh my!
I'd be better off as a stone.

To say I do love your trick
and what you make me write
as you bless me like the meek
that don't mind dying for the right.

And the words you taught me to speak,
a new language to a wild beast,
a craft so antique
as the prayer sang by the priest.

30/12/2017

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Lembrança amada

Acho que sei do amor
talvez mais que bastante
para entender do esplendor
que sabe reinar pulsante.

Que insiste e aqui fica
como fera sorrateira
olhando de canto, pela beira
em fingimento de moça pudica.

E assim eu consigo lhe escrever
por memória do seu calor
apesar de hoje já não arder
na Pessoa deste fingidor.

30/12/2017

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Naughty girl

Evil
just like the one I dared to learn
might not be as apart from good
as if it wasn't both right and concern -
how pretty is the snake in my boot!
Knowledge is power, knowledge is lethal.

29/12/2017

domingo, 14 de janeiro de 2018

Onde pecadores vêm brincar

Era perigoso, era lindo, era ancestral, era cru. Não era um dia qualquer e nele não aconteceria uma coisa qualquer. Naquele pôr-de-sol seria celebrado o velho por meio do novo relembrando-se rituais tão velhos quanto o tempo, e o melhor de tudo, testemunhado e vivido entre irmãos e irmãs gêmeos em ofício, amor e espírito.

Uma família reunida no acaso do mesmo pingo de tinta manchando páginas de verso e prosa que um dia estiveram a quilômetros de distância.

Vinho em honra ao convidado mais especial que logo chegaria. Flores e os sons e silêncios do pequeno bosque pontuado aqui e ali por lamparinas que logo seriam acesas por aquela que era muito da causa daquilo tudo e que naquele dia se prestava como Sacerdotisa da cerimônia.

Chegada a hora, quando um determinado raio de sol toca o cálice sobre o altar, começa o cortejo. Meninos, meninas, homens, mulheres cuja idade na verdade pouco importa, de rostos e origens que não poderiam ser mais diferentes. A bela moça não consegue não sorrir ao levantar a cabeça e ver tantos companheiros reunidos para algo tão especial.

N. vinha radiante na selvageria de seu cabelo crespo conduzida pelo braço firme e orgulhoso de A., talvez o membro mais velho daquela irmandade; que por força de hábito enxergava principalmente cada uma daquelas jovens mulheres como suas filhas, das quais cuidar e com que se preocupar. N. sorria para ele de modo a tranquilizá-lo de seu nervosismo e medo de fazer algo que pudesse ser mal-interpretado ou que estragasse o momento.

F., a outra metade do casal, vinha logo atrás, acompanhada por S. que carregava as alianças com alegria e pela moça conhecida como Fishroll em sua promessa de proferir ardente discurso e propôr o brinde final antes da esperada festa. Atrás deles vinha o resto dos membros que puderam comparecer; aos poucos estes se acomodavam em cadeiras dispostas em semi-círculo frente ao pequeno altar.

Sendo abençoadas por L. com incenso e posicionadas no círculo traçado pela mesma com um punhal consagrado, N. e F. ouvem a mesma pedir por atenção, carinho e proteção dos velhos deuses para que sua vida juntas seja feliz, harmoniosa e produtiva e logo depois fazem os votos, com as mãos unidas por uma larga faixa de tecido, de unirem-se amorosamente de todas as formas que os deuses e o destino acharem conveniente.

Após a troca de anéis e a consagração de um pouco de vinho para a terra, Fishroll puxou o grande brinde e salva de palmas, bem como o texto preparado como discurso. Muitos dos que estavam ali já sabiam mais ou menos do que ele trataria, mas mesmo assim mal podiam esperar para ouvir as palavras da boca da poetisa surrealista do grupo. Ela própria se deleitava na pompa e expectativa que aquilo gerava.

A. aproximou-se para dar um beijo no topo das cabeças de N. e F. e depois que o mesmo voltou ao seu lugar, Fishroll trocou um olhar com S., que meneou a cabeça e soltou o cabelo. O antecipado discurso se iniciou.

"Estamos aqui, nós, poetas e poetisas que ainda nos lembramos e celebramos em nossas palavras tanto que quase foi esquecido, mas que ainda é louvado e cantado nos mais inimagináveis lares. Nós que aqui nos reunimos para testemunhar e fazer parte de dois exemplos do que nos faz mais humanos e ao mesmo tempo tão primordial e poderoso quanto os deuses. Nós que no dia de hoje escolhemos provar juntos o néctar do melhor de dois mundos. Por sede e por amor.

Que o vinho que beberemos hoje honre o casal que acabou de se unir enquanto ambas se amarem. Que possamos celebrar com elas tudo o que as faz serem quem são e que as faz quererem ficar juntas; as mulheres e homens que hão de despertar nelas e em cada um de nós ainda hoje, reinando sobre todo o resto. Que cada sensação, seja visão, gosto, cheiro, toque ou ilusão se entranhe em nossas mentes e nervos para que jamais esqueçamos do que viveremos; da vez em que fomos extasiados Bacantes.

Que o prazer de simplesmente estarmos aqui se multiplique exponencialmente quando o véu entre o sagrado e profano, divino e terreno ficar tão fino quanto o tecido de nossas vestes e nossos risos e gritos e rufar de tambores ecoarem por estas árvores convidando Dionísio a nos honrar com sua presença festeira. Que nos libertemos e deixemos que nossos corpos nos mostrem aquilo de que somos capazes de sentir e fazer. Que o sangue em nossas veias pulse forte e se torne alimento olimpiano sagrado de que até mesmo eles queiram provar direto da fonte após a correta manufatura. Que morramos de amor, fome e tesão para renascermos conhecendo o que só a alguns é proporcionado."

Quando os tambores começaram a tocar ao compasso de corações e logo viraram nada mais que um zumbido, o vinho embotou os sentidos, relaxando e despindo corpos que nunca imaginariam estar ali. Tudo o que se sentia era calor e nomes e pseudônimos foram esquecidos. Sacrifício em honrosa vingança foi oferecido. Belezas que corações e olhos apenas achavam que conheciam foram apreciadas em sua plenitude. Almas que se admiravam pelo que sua tinta produzia viam e ansiavam por quadril contra quadril, lábios engolindo lábios.

O animal dentro de cada um veio à tona e com eles garras, presas, asas, bicos, patas. Rugidos e outros ruídos animalescos saíam em perfeição de bocas humanas (ou já nem tão humanas assim). Não havia certo ou errado, medo ou hesitação. Peles que já se sabiam sensíveis vibravam ao conhecer e implorar pelo indescritível que vinha de si própria e do outro. Mesmo a dor física já pouco significava.

Segredos confessados ao pé do ouvido; meninas, especialmente S., transitavam em languidez de colo em colo carregando consigo o perfume e contato de cada um deles sem questionar quem seria o próximo. Ninguém ali tinha medo da morte, das consequências ou da vida. As necessidades mais básicas daqueles organismos eram supridas por muito mais que acessos de gula.

Cada poro, pelo, defeito e espinha elogiado e adorado para quem quisesse ouvir. Palmas, quebrar de folhas sob pés que dançam sem saber por quê. A sensação de que se pode fazer o impossível, e essa mesma sensação se fazendo verdade de muitas formas na abertura e libertação de tudo aquilo que cada um tinha de mais seu e mais oculto. A conversa e visão do divino.

Beijos que pareciam mordidas, mordidas que acariciavam feito beijos. Hematomas vistos como feridas de batalha feitos por dedos, unhas e dentes manchados de sangue. O transe dos sons repetitivos, até mesmo os gemidos, e nada era o bastante. Nenhum peso era pesado demais; menos ainda sob os olhos de um deus a quem muitos paravam para brindar e postar-se aos pés. Desejos dos mais variados realizados num estalar de dedos ou num tapa com as costas da mão tão forte que quase faz desmaiar. Poções de amor com gosto de veneno escorrendo nos cantos de bocas famintas.

O tempo parecia um conceito ainda mais abstrato do que eles achavam que fosse. Por dentro e por fora eles se sentiam jovens e ao mesmo tempo velhos; como se fossem imortais e também que morreriam no próximo minuto. Passaram a conhecer uns aos outros até pelo lado avesso. Sentiam quase mais do que o corpo poderia suportar. Idiomas inventados ali mesmo que se alteravam ao prazer de quem falava e só eram entendidos por cada amante do momento como um código secreto, assim como a ressuscitação de alguns ditos como mortos.

Quando o dia amanhece e o ritual termina, tudo o que eles conseguem fazer é levantar-se dali em semi-catatonia e avisar a moça conhecida como Endy de que ela precisa recolher as cinzas da pira do sacrifício e dar um jeito de se desfazer do que não queimou. Mas eles sabiam que agora tinham ambrosia nas veias.

29/12/2017

sábado, 13 de janeiro de 2018

Is this how you repay me?

You might pretend to be made of steel,
but under my hand you're so easy to peel,
hold and bite
away from that thick dress
once we press
my day against your night.

And as I tangle
inside your angle
all your people have found
was a bloody mouth facing the ground.

27/12/2017

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Rituais

Meu ficar nos teus braços
o ocupar de novos espaços.
Meu aninhar no teu colo
o semear de sagrado solo.
Meu frágil, sensível pescoço
o lar de afago sempre moço.
Meu beijo no verso da mão
o entregar solene do coração.
Meu querer e os meus dedos
o desejo de seres cegos.
Meu gosto ainda na tua boca
o marcar de uma época.

27/12/2017

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Balada surreal

Mata-me, eu te imploro!
Mas volta e ressuscita
o que ainda resta deste ouro
ardente que nos excita...

Mata-me de amor, de espanto,
de loucura e de tesão
no zumbir do teu canto
sem sentido, mas cheio de intenção...

Não pare jamais de ser
a dona destas loucas cenas
de fazer a alma arder
sem a menor das penas...

Tira de mim os velhos por quês
que sei jamais terem respostas
a dá-me lugar, voz e vez
à beleza das horas mais mortas...

Dá-me o teu homem que se faz lobo
e a mentira do azul daquele olhar
que ainda consome em memória de fogo
e sabemos que ainda há de ficar.

26/12/2017

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Fair play

How much would you like me to pay
to get to see your smile
everyday or just for a while
like I bribe the rain for a sunray?

What is it that I should tell
this child with a hand through the hair
to convince that I do care
if your heart's being beaten or beating well?

How far do you say that I may go
to reach out and have you close
whispering raw poetry and prose
in beautiful tales of woe?

What do I do not to look
like something other than a fool
who doesn't know love's so-called rule
was written in a girl's schoolbook?

How many crossed rhymes does it take
for a place in your chest
where there is no rest
but ours at the shore of that lake?

26/12/2017

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Complexo de Quentin

Por que será que nunca usei relógio? Por que será que demorei tantos anos para aprender a ler os ponteiros e para ter noção do tempo em geral?

Será que como negação da mortalidade do meu ser? Como tentativa de lidar com o passar dos dias de forma mais pacífica? Para me dar a ilusão de que nenhum tempo foi perdido, exceto o que já é passado, e que este pode ser recuperado um dia, vivendo-se o que não foi vivido?

Será que olho pouco para os mostradores para que talvez as horas passem mais devagar e eu consiga não pensar demais? Será que os pôres-de-sol pouco me significam ou dizem quando estou com ele porque quando estamos juntos os espaços curtos se fazem casa das eternidades?

Será que lembro tão facilmente de datas por isso ser parte do meu processo de dar sentido à minha vida? Será que para me mostrar que o passado sempre estará presente, mesmo não sendo em muita coisa como eu queria que fosse?

Será que sou assim na tentativa de viver o momento?

25/12/2017

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

domingo, 7 de janeiro de 2018

julho de 2011

PODEMOS ATÉ CONSERTAR NOSSOS ERROS NO FUTURO, 
MAS NÃO PODEMOS VOLTAR NO TEMPO. NÃO SE ARREPENDA, 
ISSO TE FAZ QUEM VOCÊ É.

sábado, 6 de janeiro de 2018

29/05/2011

NÃO TE OBRIGUES A DAR RESPOSTA 
NOS MOMENTOS DE TENSÃO; 
O SILÊNCIO É A MAIOR ARMA CONTRA O INIMIGO.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

08/01/2011

NUNCA DEIXE QUE DIGAM O QUE VOCÊ PODE OU NÃO FAZER, 
PORQUE A ÚNICA PESSOA 
QUE PODE TE DAR LIMITES É VOCÊ MESMO.

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

07/01/2011

VOCÊ NUNCA SABE QUANTO TEMPO 
VOCÊ TEM COM ALGUÉM, 
ENTÃO NÃO ESQUEÇA DE DIZER 
EU TE AMO ENQUANTO PODE.

domingo, 31 de dezembro de 2017

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Contemplation

I delight on the fragile,
I yearn for the most visible,
I take love for the intimate.

Delicate hands, shaky from the battle,
gentle eyes in every appraisal,
the beauty of necks of fair fate.

20/12/2017

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Blues boy

You don't really know what to do with your hands,
so you carry around the guitars
that make you feel lord of these lands,
quiet attics and old bars.

You kiss sweet everythings into the mic,
love and lust as to a woman's lips
because good scotch needs no spike
to arrive at one's fingertips.

You smile as though no one is looking,
to yourself and your own joy
and no idea of other's delight

in seeing a man become a boy
out of love for what he's doing
and all else that he still might.

20/12/2017

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Poesia ou oração?

Um tempo atrás, descobri um pouco de poesia romântica inglesa. Até aprendi alguns versos de cor. E hoje eu me pego repetindo esses mesmos versos, várias e várias vezes, em inglês.

É que eles parecem abafar ou calar os fantasmas que chegam de mansinho para gritar e me atormentar. Não sei se são as palavras em si, o modo como soam ou a voz profunda e ao mesmo tempo suave e calmante das pessoas que ouvi declamando. Mas eu as repito sem parar, como se fossem oração.

2 de setembro de 2014

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Flame

The taste of raw meat
and no intention of retreat
once I reach this holy heat
I never thought could be so sweet...

And you show me a new belief,
all high glories I can achieve
off every honest motif,
you as I reward I recieve.

Is that the fire of your soul,
this flame without control
set at the bottom of the black hole
that has swallowed me whole?

17/12/2017

domingo, 24 de dezembro de 2017

Preso a ti

Tu não escreves mais de mim, amor...
Ainda sou pelo menos memória
de dias de prazer e glória
apesar do frio e do calor?

Sabes que não te trago só dor...
Ah, se soubessem da nossa história
todos não seriam mais que escória
pensando ser perfume de flor.

Sabes que estou aqui, por onde for...
no pico de cada vitória,
a escuridão da trajetória
como teu servo e teu senhor...

15/12/2017

sábado, 23 de dezembro de 2017

Intimacy volume II

It is your eyes covered in gold,
habits ours that never grow old.
It is you, my brother, and it is a sis,
the much of ours that we miss.
It is the whispered praises, so honest,
in which I am a queen and the handsomest.
It is a crystal vessel and the very last drop of wine
in the name of what is yours and mine.
It is your hand over my hand,
for there can be peace again in this land.
It is hello and goodbye as we hold
tight on each other to kill the cold.
It is boxes filled with treats
to remind our souls of life's sweets.
It is sharing dreams and trying to decypher
what is waiting for us on the next border.
It is being Love, Little and Dear
and having you always so near.
It is a room, and you shower and you dress
right behind me and there's no mess.
It is the baring of our souls
as the sun goes out and time flows.
It is desires, hopes and wishes
renovated into patient riches.
It is pure love turned into a sacred belief
be it during scorching sun or fallen leaf.
It is the smell of all that is good and clean
from soft linen and even your skin.
It is reading between double lines
this that the world takes and defines.

09 de dezembro de 2017

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

I obey thy command

If a god himself invites me to his temple,
who am I to him to deny?
When are they ever this gentle
to whisper this as we pass by?

Do they mean to make us tremble
and never forget their power?
Or perhaps set us an example
of survival at the darkest hour.

08 de dezembro de 2017

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Mercy on me

He shall want me
and love me
and yearn for me -
what shall hell be without me?

When the night is so dark
even a king trembles at its touch,
is it really too much
to want to comfort and play the part?

06 de dezembro de 2017

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

05/12/2017

Qual a fronteira entre saber 
que pode fazer mais e melhor 
e conseguir não se cobrar demais?

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Petite mort

If I am to die more than once,
let it be in your arms
and the sweetest trance
from which I don't recoil -
touch that soothes all turmoil
but also alarms.

If I am to want resurrection,
let it not be his, but mine
through sheer force of attraction
at the pace of a slow dance -
did you know you taste like wine?

If I am to feel alive,
with blood inside these veins,
let it be the one that reigns
for much longer than tonight;
you here, still by my side.

03/12/2017

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Resto

O amor é desses que não tem motivo.
Quisera ser como ele,
apenas aquilo que o mundo releve.
Não sei se estou bem ou mal,
somente que estou aqui e vivo
e não me resta não ter ideal.

01/12/2017