quinta-feira, 31 de agosto de 2017

O abraço

Dos teus braços me vesti
e afinal senti
pertencer à minha própria pele,
casca onde a alma sossegue.

02/07/2017

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

As palavras

O lugar onde fiz casa
erguida sem nem perceber
na vontade de viver
talvez da chama da minha brasa.

Que fez muito de quem sou
e para onde quero sempre voltar
ainda mais leve que o ar
e levar comigo por onde vou.

Enraizado em amor e prazer
eternizado em cada visita
em que me sinto tão aceita
no lembrete para sobreviver.

30/06/2017

terça-feira, 29 de agosto de 2017

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Open doors

If you want to feel alive,
if you want a place to belong,
where you don't forget to be strong
even at the edge of the knife...

Open your eyes
and the depths of your heart
for every fresh start
to getv to reach new heights
in the purity of all that is art...

Open your arms
to the embrace of the world
even if you are told
all it can do is to harm.

Open your mind
to all you can do and learn
as you walk around to find
the point to which not return.

30/06/2017

domingo, 27 de agosto de 2017

Roda de mate

Dás-me a cuia
e sinto nela o toque da tua mão
que no escuro ainda me guia
no mais belo galardão.

Num gole vem o calor
tão como o do teu abraço
que preenche todo espaço
onde o vazio quer se impôr.

Amargo que se faz doce
por cada sorriso trocado
em momento sempre ansiado
que eterno sonhava que fosse.

A água agora acaba
e com ela tu também te vais
enquanto o mundo se gaba
de não haver me dado outro cais.

Um frio vem de repente,
assusta e faz-me tremer...
Não foi o mate quente,
eu sei, o único a nos aquecer.

30/06/2017

sábado, 26 de agosto de 2017

Discovering

Is this really who I am
or just another mistake?
Either way, take it, then,
or else live in heartache.

I want to be like the wind that blows
remaining free no matter what
to choose where it goes
even if the world is mad.

Accept it, just give in,
despite how hard it feels -
stop, look and listen within
and in time you'll know your appeals.

30/06/2017

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

07/07/2015

Quando foi que me tornei tão amarga, tão insatisfeita, tão cheia de ressentimento e mágoa? Somente hoje percebo qual é a verdade e o quão dura ela é. Eu me sinto sufocada e guardei todos esses sentimentos comigo sem nem perceber.

Talvez o único caminho para encontrar a luz seja abarcar a escuridão; não ter medo dela. Aceitar a minha raiva, a minha melancolia como ele aceitou. Acho que o que mais gosto nele é justamente essa aceitação incondicional. Sem pena, sem ser condescendente ou fazer pouco caso com o que sinto.

Porque por mais insólito que seja e por mais obscuro, o que sinto é real e válido. Que bom que ele não tem medo de andar comigo por essas pedras.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

25/06/2017

Às vezes acho que tenho que agradecer à vida por ela ser tão errática, e até mesmo ser grata aos meus impulsos, porque considerando minha apatia, sem eles talvez tudo teria sido muito pior. Pelo menos eles aquecem minhas veias e me permitem fazer alguma coisa, mesmo que seja tomar a decisão errada, e me ajudam a me conhecer...

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

A paixão

Eu sou tua paixão,
a razão do teu viver
e para o teu sangue correr
seja inverno ou verão.

Eu sou o que dá sentido
para que o tempo não passe em vão
e preencho o teu coração
mesmo quando tudo parece perdido.

Eu sou o que te traz a beleza
em choro, riso ou brilho no olhar
daquilo que mais importa

para que tu possas te lembrar
que não há só vazio e tristeza;
segue aqui e te conforta.

24/06/2017

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Upon request

Be the cold
coming through my each leg
without having to beg,
living beneath my clothes...

Be the drop of sweat
that kisses my skin
pouring out from within
down spine and even back.

21/06/2017

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

XVI

Olá, meu querido!

Se fôssemos personagens de ficção, como nos enxergariam? Como teríamos sido escritos? Será que os outros leriam em nossos olhos e gestos o mesmo que vemos quando estamos entre nós? Será que veriam o fio de ouro que nos une mesmo a metros ou quilômetros de distância e que se enrosca em nossos dedos quando estamos bem perto?

Será que enxergariam assim como eu e tu a mesma fronteira que existe por debaixo da intensidade sincera de cada palavra que digo e escrevo, por mais ambígua que seja, justamente por eu não saber e talvez não querer me expressar de outra maneira, e isso não mais nos assustar, e eu ver que tu amas mais essa parte de mim? Por esse fogo que chamusca tudo o que toco e que tu não queres que eu perca ou esqueça?

Será que notariam que geralmente com o pôr do sol e a chegada do escuro da noite os sons de fora começam a silenciar, mais facilmente nossas almas se acendem e passamos a nos enxergar melhor, justamente quando devemos nos separar em corpos de novo e deixar reticências para trás (embora eu não exatamente me queixe delas)?

Será que eles saberiam sem eu precisar dizer que eu me encolho nas noites frias de solidão tentando reter a memória muscular de ser Pequena e caber nos teus braços, onde nada mais importa, seja por medo meu ou simples saudade e hábito que se criou, e de reter-te nos meus do melhor modo possível quando tu és o perdido na selva da vida e vens à minha procura?

Será que notariam o quanto amo a confiança que cada vez mais cresce entre nós? Ou o quão me faz feliz vencer o medo inútil de olhar nos teus olhos, sendo que há muito entraste em meu coração? Ver teu carinho, teu amor por mim dentro deles, que me deixa às vezes sem ter o que dizer, sem saber como reagir direito, a não ser sustentá-lo, sorrir e tomá-lo para mim, por ser mais meu do que muito do que me pertence?

Será que isso importaria? Ou será que importaria mais, ou menos, do que tudo isso ser exata e simplesmente assim, e real, por mais que às vezes me pareça um sonho e seja um presente que não quero negligenciar ou dar como certo?

Com amor e saudade,

Tu sabes de quem.

domingo, 20 de agosto de 2017

Dialogues

And with the night
comes the darkness
that turns on the light
to our souls' deepness.

And as the sun goes out
I look into your eyes
and there dies the doubt
that still makes me unwise.

And as the wind grows cold,
the language remains warm
for every truth that is told
and is there to defy the norm.

And as time carries on
we whisper the poetry of dreams
where promises are spawn
in times ours by all means.

16/06/2017

sábado, 19 de agosto de 2017

Way to your heart

Let me closely see
what you call beauty!

Let me read you verses,
from mine or older voices!

Let me hear of your passion,
what fills your every fraction!

Let me dare to make you laugh
and take that sound as the guide of my path!

Let me show you the world around me
in the forever of a heartbeat!

Let us sit near the trees, as the sunrays
cross the leaves to kiss us in mute appraise!

18/06/2017

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

18/06/2017

Talvez a minha paixão pelas pequenas coisas, pelos detalhes, seja o que me mantenha viva por dentro. Mesmo com toda a minha sensação de buraco vazio, sem isso acho que já teria morrido em espírito há muito tempo. Talvez esse seja o fogo do meu coração. E pensar que um dia ele quase se apagou…

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

18/06/2017

Quando eu era criança, costumava olhar para as mãos das pessoas, como elas descansam e pegam as coisas, e pensar nelas como entidades completamente separadas e não como partes de um corpo...

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Seasons are changing

I am summer's lover,
but Persephone bid me farewell.

I am winter's daughter,
but Father comes and life is hell.

How long is the wait,
with a heart this cold!

But open remains the gate
to the queen dressed in gold.

06/06/2017

terça-feira, 15 de agosto de 2017

12/06/2017

Tão triste e complicado querer encarar as coisas pelo que são, de forma natural, mas ter que se esconder pelo motivo que for... Saber que mesmo as pessoas que se pensava serem mais abertas dão o mesmo tipo de feedback negativo que se vê em outras... Claro que o que importa é não nos prendermos dentro de nós mesmos e sabermos que temos e merecemos nosso lugar, mas isso não torna as coisas necessariamente mais fáceis...

Felizmente o mundo está mudando, mas será que estamos dispostos a andar com ele e mudar também? Tudo isso é tão melhor de enfrentar com corações abertos por perto... Mas nem todos eles se deixam abrir.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

domingo, 13 de agosto de 2017

Torn I

I want to fall in love again.
I want my heart to beat fast
like I know it did in the past,
unafraid of pain or disdain.

I want to fall in love once more
and fill soul, poems and above
with the whiteness of a dove
and the clichés from the lore.

I want to burn in this fire,
be an entire world to another,
even if in a wild dream

that might make me smother
as much as it can inspire
a life to this slow bloodstream.

06/06/2017

sábado, 12 de agosto de 2017

Cacería salvaje

The told serpent slipped through your fingers
like water from those cold mountains,
inviting for a game of catch.

You tried to close your eyes and ears,
but it touched you, it knew you
and you wouldn't admit it.

It went beneath your tailored suits
and hissed you its General Song
about the man you wish you were.

It took you in the tightest embrace
to near the forgotten who were your mothers,
to the shunned dark rooms where you once made home.

And from above the bloody snow you returned
as child of your people, of those the serpent screamed of,
and the real persona of a brand new poem.

For that, you love it,
it cannot imagine
how much you love it.

3 de junho de 2017

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Shot poem II

Here I am, slowly sipping
yet another glass of wine
to fool myself into thinking
it will make things fine.

Like your name, both sharp and sweet
right at the the tip of my tongue
racing this rather weary heartbeat
in a song insisting on being sung.

If only this fire in my veins
was the one I felt in your embrace!
It comes and goes with the speed of hurricanes
leaving but the memory of your grace.

I drink it both to sleep
and to remember I am alive
you thought my price too cheap
but this bottle was only fifty-five...

3 de junho 2017

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

22/05/2017

Preciso descobrir para onde vou. De que lugar vou fazer meu lar e seguir com a minha vida sem me sentir um peso para os outros. Fico feliz por estar aos poucos abrindo a mente e não apenas e não apenas me descobrindo, mas construindo quem sou com o que me parece certo... Espero aprender ainda mais; felizmente nunca é tarde para tal.

Preciso encontrar uma maneira de viver da felicidade que aquilo que amo me traz e principalmente largar a apatia com relação ao que me diz respeito e o que acontece à minha volta. Não adianta eu querer ser cidadã do mundo, mas não prestar atenção nele, não me colocar no lugar dos outros. Sair daqui há de me ajudar com isso.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Presença

Sou filha do inverno
e amante do verão
sentindo que em meu coração
o frio quer se fazer eterno.

Sou cria de uma fronteira
que conhece geada e mormaço
mas foi dentro do teu abraço
que minh'alma quebrada se fez inteira.

E a cada dia te sinto mais aqui
em espírito que continua perto
no quanto me queres bem;

nos sonhos que seguem em aberto
divididos entre mim e ti
e que hão de nos lançar muito além.

30/05/2017

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Canto V

Sou filha de princesa
Nascida em beira de rio
De frente a calor e frio
Em um fardo que ainda pesa
Havendo de se fazer mulher
E até hoje ter de se provar
Que o pampa um dia fez brotar
Flor que no mapa não quer se perder.

Ana, a do Uruguai
Que entende da ânsia
De viver na distância
Das outras crias de seu pai
E faz do atravessar uma ponte
O que consegue de mais perto
De uma irmã de peito aberto
A dividir o mesmo horizonte.

Cujo colo é mais minha casa
Do que o teto sobre minha cabeça
Mesmo que o mundo faça com que pareça
Que não há mais lugar sob sua asa
E mesmo tendo de quem sabe deixá-la
Sei que merece e precisa de muito mais,
De chances para que vejam ser capaz
De ir além do que seu passado nos fala.

E quem sabe um dia eu volte
Só para ver que a moça da fronteira
Ergueu-se em égua caborteira
Escrevendo para si nova sorte
E me receba, chegada a minha hora
Na realeza de uma saudade
Conservada em lembrança e lealdade
De quem a viu por dentro e por fora.

29/05/2017

domingo, 6 de agosto de 2017

A jornada

Talvez para me lembrar
que meu espírito é livre
e dar valor ao que tive,
o que me resta é zarpar.

Que do outro lado das fronteiras
as distâncias pareçam mais curtas
e mesmo que sejam duras,
suas glórias se mostrem certeiras.

Para que eu não esqueça de onde vim,
que eu bote os pés para fora daqui
e tome a mim mesma pela mão

em um lar onde eu tiver de ir
feito do que há de melhor em mim
porque não hei de viver em vão.

29/05/2017

sábado, 5 de agosto de 2017

Canto IV

Abre teus olhos, guria,
E vê, enxerga e repara
No que está na tua cara
E usa da tua fúria...

Para quebrar o silêncio
Que se fazia em desperdício
Passando a ser início
De em ti um novo tempo.

Não esqueces do que é certo
Nem de todo o absurdo
E comece logo a lutar

Pelo melhor de outro mundo
Nem que seja na ponta de um verso
Que sabes poder cantar...

27/05/2017

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Canto III

Eu não nasci para viver com medo.
Onde estão os bravios que me prometeram?
Onde se esconderam aqueles que me contaram
Que arriscariam nobremente desde cedo
Aquilo que possuem de mais valioso
Para que meus passos sejam livres
Dos mais impensáveis pesares
Por tal horror belicoso?

Eu não nasci para viver atrás de grades
E me esconder de um dedo num gatilho
Quando um certo antigo estribilho
Fala de façanhas e liberdades
Que servem de grande modelo
A cada um, dentro e fora desta terra
Na paz e na derrota de cada guerra
Como a grande vitória e apelo.

Onde está a honra para com aqueles
Que apesar de tudo honram sua farda
Esperando a recompensa que tarda
Por tentarem salvar nossas peles
No que a cada dia mais parece selva
Em que nos sentimos animais fracos
Pisando em restos e cacos
Com medo do que o futuro reserva?

Onde estarão?

26/05/2017

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Espirito livre

Abra as portas.

As da tua mente,
do teu coração,
dos teus ouvidos,
da tua boca.

Abre-me teus braços,
preste atenção
e tudo será teu.

26/05/2017

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Canto II

Cada vez menos pareces digno
De ocupar tal palácio...
Mas gritemos todos uma só palavra
E serás destronado.

Sejamos aquele que dá com uma das mãos
E com a outra tira
Quando menos se espera.
Sejamos o que eles acham que são.

25/05/2017

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Canto I

Eles são como um vento de muitos rostos,
Rostos que se viram para todos os lados
E no fundo riem dos nossos esforços
E somos cada vez mais enganados.

Que sussurra sobre os nossos anseios
De uma terra de todos, de ordem e progresso.
Em serem aqueles que proverão os meios
Em que não há de haver retrocesso.

Isso tudo enquanto espalha
A fortuna que a todos pertence
Como se fosse folha que nascesse em qualquer lugar
À hora que bem entende.

Como se não fosse joia
Que custasse sangue e suor
Como moeda de troca pela glória
De uma vida justa e melhor.

Como se não causasse grande vergonha
Que as manchetes de qualquer jornal
Estejam manchadas de cada barganha
Comemorada às nossas custas num pseudo-bacanal.

25/05/2017