domingo, 31 de outubro de 2010

SEMENTE

A semente que brota
De cada ação generosa
Colhe ternos frutos
De uma paz esperada.
A semente que brota
De um sorriso espontâneo
Não tem preço,
Vale como um diamante
Bruto de alegria.
A semente que brota
De uma palavra de carinho
Torna fértil a terra
De nossa calma
Colocação.

sábado, 30 de outubro de 2010

MEDO III

Medo que entristece
Medo que paralisa
Medo que consome
Medo que enlouquece
Medo que mata
Medo que sufoca
Medo que eu saboreio
Medo que eu temo
Medo que faz tremer
Medo que manipula
Medo que muda
Medo que luta
Medo que corre
Medo que te pega
Medo que contagia
Medo que grita
Medo que ri de mim
Medo que machuca
Medo que chora
Medo que ama
Medo que odeia
Medo que perde
Medo que ganha.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

MEDO II

eus muitos medos
Latentes pela face
São tão compreensivos...
Eu os esperei toda uma vida
Teu medo de me machucar,
Tanto por fora como no meu coração,
Medo de que eu caia,
Porém se acontecer sei que tu
Vais me dar a mão;
Tens medo que não me sinta
Bem onde estou,
Ou mesmo que me digam
Algo que me entristeça.
Isso me prova
Que teu coração é grande
Puro e compreensivo
Escuta as minhas confissões e medos
Quando abro meu coração;
Talvez tenhas medo
De que eu confunda as coisas de novo
Porém eu te respeito
E tua amizade é o mais importante.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

MEDO I

Temo por ti
Temo por mim
Temo por nós dois
Temo tanto porque te amo,
Medo, todo mundo tem algum
Por mais idiota que pareça...
Temo não ver teus olhos
Temo não ouvir a suavidade da tua voz
Temo não admirar teu sorriso
Temo já não sentir o delicado toque
Ou mesmo a tímida proteção.
Temo perder o fio dos versos
Que bordam o tecido das estrofes,
Os lindos vestidos da poesia.
Temo a dor que não passa
A solidão que não vai embora
Apesar de toda a efemeridade
De quinze anos que vivi sem ti
Na distração da espera
Que parecia eterna.
Não preciso provar mais nada
Porque já provei o mais importante
A mim mesma
Com tua singela ajuda!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

O SILÊNCIO DAS PALAVRAS

Antes do nascer de meus versos
Minhas palavras surgem
Da contemplação de silêncios.
Convivo com a poesia
Que há em cada silêncio
Cada situação humana da vida
Experimentada e sentida.
Para que só assim
Eu possa preenchê-la com palavras.
Muitas vezes
Me lembro de tantas coisas não ditas
Que ainda são apenas silêncio,
Palavras tantas
Que nem o silêncio consegue
Transformar em poesia plena...
A beleza das tristezas
A intriga da morte
A simplicidade do amor
A luz de um sorriso
O conforto de um abraço.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ÁRCADE

O amor que te dedico
Devoto e nunca esqueço
É árcade, tranquilo
Natural e bucólico.
Ter nosso filho nos braços
Certeza de realizar um lindo sonho
Onde posso reconhecer o colorido do olhar
As bonitas covinhas da boca
E o sorriso inocente do pai.
Meu bem mais precioso na vida!
Preciso muito da tranquilidade
Que só tenho em teus braços, ou nossa casa
Contemplativos de todo o natural à nossa volta
A vida ideal,
Sem sobressaltos, sem qualquer interferência
Um amor profundo, suave
Reservado a nós dois
Com o perfume das florzinhas
Que crescem em nossa varanda.

domingo, 24 de outubro de 2010

AOS 15

Tenho quinze anos.
O tempo passou tão rápido
Que tenho sentido muita saudade
De um época recente,
A de criança,
Onde eu não era tão triste
Não conhecia as mazelas da vida
Tinha amigas que cresciam comigo.
Hoje todas nós crescemos
Tivemos um choque de realidade...
Perdemos muito
Mas também ganhamos muitas coisas.
Perdi a inocência
Conheci todas as faces do amor
Perdi as antigas histórias
Ganhei a escrita catártica e a poesia.
Perdi a crença de estaticismo da vida
Ganhei a luta eterna pelos sonhos
Perdi o que julgava importante
Ganhei teu carinho como recompensa.
Perdi a cegueira e a hipocrisia
Ganhei um coração
Aos 15 anos.

sábado, 23 de outubro de 2010

SEGREDO DO CORAÇÃO

Somente você
Conhece o verdadeiro segredo
Do meu pobre coração
Mesmo sem fazer ideia disso.
Sabes como chegar
Onde mais me dói, onde moram minhas tristezas
Com a chave da simplicidade
Curas as feridas que a vida
Me deixou
Num sorriso doce, ou
Palavras de carinho...
Tu me instigas a confessar
Minhas fraquezas,
E guardar tudo como segredo
Pra que eu fique bem.
Nas tuas mãos
A chave do cadeado
Que abre a minha alma.

domingo, 17 de outubro de 2010

INDECISÃO

Hoje já não sei
O que sinto por você...
A maioria diz que é amor,
Mas eu afirmo ser
Um amor muito puro e diferente.
E agora?
Acho que estou dividida,
Porque fico satisfeita com sua amizade
Que pra mim é o mais importante
Mas segundo outras pessoas
Meu olhar me contradiz,
Especialmente quando estamos juntos.
Tenho medo de me iludir
E te machucar também,
Pois tu és muito importante pra mim.
O que eu faço
Se meu carinho por ti
Não me impede de pensar num outro amor
E permaneces em meus sonhos?
"O medo de te perder
Me machuca tanto..."

sábado, 16 de outubro de 2010

PINTURA

Quero pintar um quadro
Sobre nós dois,
Algo que fale do nosso amor
Mais uma vez pensando em você.
Não tenho tinta
Então vou pintá-lo com meu sangue
Onde está cada parte de ti.
Por todos os momentos
Que passamos
Cada palavra dita
Minha vida
Parte bonita da história
Meu sangue
Grande amor pra sempre
Nada vai destruir.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O TEMPO QUE PASSA

A soldão está aqui
O violão me acompanha
Enquanto fumo um cigarro
Sem saber do tempo lá fora.
O livro que li ontem fala do tempo
Que passa, e tenho medo ainda
De tirarem meu lugar no teu coração.
Não importa com quem estejas,
Jamais esqueças do que de fato
Significas em minha vida,
Até porque nada vai mudar...
O tempo voa
Me lembro do teu sorriso
E das palavras doces e tranquilas
Que já ouvi de você,
Não tem nada mais gratificante!
Sem direção
Querendo me encontrar em cada esquina
Último suspiro de inverno.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

MASMORRA

Masmorra sem saída
Casa de ódio e tristeza
Antítese, sem saúde
E não há fuga possível.
Vida de mediocridade
Livros com páginas em branco
Na escuridão eterna
De não saber onde estou
Ou mesmo quem sou
Solitária.
Voltei a uma casa
Onde as lembranças me preencheram
Em cada detalhe,
Sentindo seu abraço,
Mesmo que não estejas aqui...
Não sou eu mesma esta noite
Não sei se poderei voltar a ser
O que todos dizem que sou.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

AREIA


Se meu amor pudesse
Ser expresso
Por cada grão de areia,
Um deserto jamais
Seria suficiente.
Na areia
Escrevo teu nome
Enquanto o vento
Me traz teu perfume...
O mar me abraça
Te espero para estar aqui comigo
E a lua se vê tão bonita
Quanto nós dois.

sábado, 9 de outubro de 2010

QUERO FUGIR

Estou tão triste aqui...
Sinto a sua falta
Tenho vontade de fugir
Na solidão meu coração se exalta.
Quero fugir pra um lugar
Onde minhas lágrimas e dores fiquem adormecidas
Em que você não tenha medo de me abraçar
Curando minhas velhas feridas.
Mais um dia em minha vida
Amanhece à tua espera
Longe de ti me sinto perdida
O tempo passa e minha alegria leva.
Dá-me uma palavra, um sorriso
Um silêncio ou apenas um olhar
É apenas o que eu preciso
Como pedaço pra me completar.
Me afasta dessa hipocrisia
Eu preciso da tua paz comigo
Pretendo sempre lutar com porfia
Para poder lhe dar ainda meu amor de amigo.
Quero fugir
Quero esquecer
Não suportaria nos ver sucumbir
A isso talvez eu preferia morrer.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

AQUI

Aqui
Onde nada é o que parece
O tempo nunca me esquece
E muitas lágrimas ainda vão cair.
Aqui
Onde o espelho já não me reflete
O pior dia sempre se repete
Não tenho pra onde fugir.
Aqui
Onde as flores não desabrocham
Papéis em fogo se desmancham
Não tenho como impedir.
Aqui
Onde está calor e continua chovendo
Meu coração sofrendo
Não tenho motivo pra sorrir.
Aqui
Onde não sou nada sem você
E me consome o medo de te perder
Somente me resta dormir.
Aqui
Onde a vida me deixou acabada
A tua carta foi rasgada
Meu anjo, vem de noite me cobrir.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

UM SEGUNDO

Não acredito
Que por um simples segundo
Parecido com a eternidade
Eu estive em teus braços,
Completamente segura
Do que posso ser ao teu lado.
Uma sensação única,
Confortavelmente estranha
Que ainda vai se repetir muitas vezes
Se os deuses me pemitirem
Essa certeza de que nada mudou...
Num desses lindos instantes
Talvez eu possa roubar o que
Sempre foi meu, e que finges não
Desejar me oferecer.
Te conheço,
Tua face de anjo não me engana
Teus olhos claros não te escondem de mim
Ainda terei teu abraço
Sem precisar esconder
Posíveis lágrimas.