quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Besta enjaulada

Calma, coração!

Não se deixe
envelhecer,
não se deixe
endurecer,
não se deixe
entristecer.

Não se permita
parar de sonhar,
porque o mundo
te pertence.

Calma, coração!

Não ouse esquecer
o que é ser criança
ou o que o amor
pode fazer.
Nem a esperança
que te faz acreditar
que você pode
ser o que quiser.

Calma, coração!

Não perca a paciência
porque tudo acontece
a seu tempo
nem a resistência
de correr atrás
porque nada cai do céu.

Calma, coração!

Tu ainda tens tempo
e um dia ainda vais
te sentir livre,
sereno e limpo,
porque nada mais
vai te faltar…

terça-feira, 30 de agosto de 2016

14/06/2011

Eu definitivamente não
entendo este meu coração.
Sempre digo para ele
se dar valor e
gostar de quem
gosta dele,
mas é muito difícil.
Não aguento mais não ser
correspondida e ser
assim com outras
pessoas também.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Acho que o que me trouxe a depressão
foi tudo o que passei a enxergar;
tudo o que eu passei a admitir;
tudo o que eu passei a conhecer.
E era só o começo.
E isso me fez sentir tanto medo…

domingo, 28 de agosto de 2016

26/07/2011

Não corra atrás do amor. Ele pode se 
assustar e fugir. Busque-o, 
mas deixe-o vir. 
Espere. 
Ele pode acontecer 
quando você 
menos imaginar.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Tudo o que eu preciso é de uma 
chance para viver de verdade 
e parar de me sentir presa.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

terça-feira, 23 de agosto de 2016

O meu caminho incerto

Não importa
para onde
eu vá
depois daqui...

Contanto que
seja um
caminho meu,
só meu...

Não me
importarei com
os espinhos
ou pedras.

Eu saberei
o que
fazer,
eu aprenderei...

Aos poucos
as coisas
se encaixarão,
farão sentido...

Pode ser que
o que faço
hoje ainda seja
a minha vida
nas mãos
de outros...

Mas é
um começo,
o melhor
que tenho.

Mas hei
de escrever
o final!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

(In)solidez

As coisas
que podem
ser medidas
me parecem
as mais abstratas.

Aquilo que
não se
pode tocar
me é
bem mais visível...

domingo, 21 de agosto de 2016

Quando toda esta dor acabar, 
é provável que eu não seja 
exatamente feliz. Mas com certeza 
serei MAIS feliz.

sábado, 20 de agosto de 2016

Ler, para mim, é mais que um escapismo, uma mera forma de ocupar a cabeça. A literatura me ajuda a me enxergar melhor. Às vezes pode ser que o espelho esteja um pouco embaçado, mas ele sempre mostrará alguma coisa, mesmo que pequena. Os anos me ensinaram a ver os pormenores das palavras, o que posso tirar delas. Porque é nas entrelinhas que residem os significados.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Só ele sabe o quanto é importante para mim que eu enfrente meus demônios e este, com certeza, é um dos maiores. Ainda preciso pensar em como fazê-lo, mas não custa tentar. Só ele sabe o quanto isso dói e não me julga.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Haras e Leinad - Ato 2

O homem
em mim,
minha mente.
A menina
em mim,
meu coração.

Retalhos
do que sou.
Pedaços
do que seria.
Partes
do que fui.
Eles têm
mais certezas
do que
jamais possuirei;
mais sonhos
do que
sequer imaginei...

Menino
e menina
que cresceram
rápido demais,
assim como
eu.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Haras e Leinad - Ato I

Homem que
sabe sorrir
como menino;
menina que
tem coragem
de mulher.

Duas pessoas
em si mesmas,
mas que representam
apenas uma;
minhas metades
e alter egos.

Cada uma
num canto,
porém juntas
no fim,
como poesia
e prosa.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Saudade

Os cheiros
e gostos
têm memória.

Têm saudade,
muita saudade.

A saudade daquilo
que somos, fomos
e poderíamos ser.

Daquilo que
nossos corações
chamam de lar.

- Letícia B. Silva e Yurgen Maas

domingo, 14 de agosto de 2016

12 de janeiro de 2015

Além de me sentir culpada por causa das coisas ruins que me acontecem, me sinto muito ansiosa e neurótica. Sinto uma coisinha e já penso em besteiras. Estou muito irritada.

Por conta da minha situação de filha única, nem que eu quisesse teria em quem botar a culpa sobre muita coisa. Questões como responsabilidade e outras que teoricamente os pais nos ensinam por conversas e exemplos, aprendi sozinha, só observando o que acontece com os outros. É como se meu código fosse “tudo tem uma consequência boa ou ruim; lide com ela e vire-se”.

É complicado quando põe em ti uma coisa que não é tua… mas pior ainda é se sentir culpado, porque nem tudo está sob meu controle. A vida que tenho me fez amadurecer muito cedo; ao mesmo tempo não sei lidar com muitas coisas por elas serem novas para mim. Por isso, ultimamente qualquer coisinha tem me deixado louca. Estou pirando por coisas que não me assustavam. Pelo menos, não ainda.

Ele tem razão quando diz que não posso me deixar dominar…

Mesmo que logicamente não se possa conversar muito com os pais, no fundo tive que aprender a me virar sozinha e guardar as coisas para mim, como eles o fazem, porque nenhum dos dois nunca foi de conversar e querer saber como eu me sentia de verdade. Por isso, se digo hoje alguma coisa do gênero para minha mãe, lá vem ela com um “para com isso, neurótica”.

Talvez eu esteja mesmo sendo neurótica, mas é muito difícil de controlar!

Se falo em sintomas físicos, que na maioria das vezes acabo exagerando, ela sempre ri da minha cara. Não me ajuda nada sendo assim; ela sabe que estou estressada.

Ou pelo menos, eu tento fazer ela saber.

Claro que muitos dos meus sintomas físicos, principalmente agora, tem origem no estresse. Como por exemplo queda de cabelo e unhas ruins. Talvez algumas de minhas dores físicas também, muitas devido à falta de exercícios. Algumas vêm de antes desta paranoia, voltando agora e estão me assustando além do necessário, me fazendo pensar que podem ser algo grave; como a dor no tornozelo que tenho a cada dois séculos que quando volta me faz perder a cabeça.

Sei que é tudo coisa da minha cabeça e talvez isso me console… Mas presto bastante atenção à dor, exagerando sua causa e consequência.

Como apalpar o pé do tornozelo que dói, com medo de que possa ficar frouxo e eu não consiga pisar. Ainda bem que tenho me esforçado para não fazer mais isso. Ele tem razão quando me diz que isso só aumenta o problema. Claro que eu devia ter falado com alguém sobre meu tornozelo, mas tenho isso só muito de vez em quando e há muito tempo sem motivo aparente, o que nunca me incomodou de verdade… até agora. Não deve ser nada grave, é só falta de atividade. Sou só eu enlouquecendo.

Tenho que me lembrar de averiguar meu corpo de modo geral (e neste caso nunca lembrei de fazê-lo por haverem coisas maiores na frente e nunca dei bola), mas POR QUE DIABOS ESTOU ENLOUQUECENDO POR QUALQUER COISINHA? Ele acha que posso estar desviando alguma questão maior para as menores, como estresse ou sofrimento. Talvez esteja certo.

Tenho vontade de chorar quase o tempo todo. Dessas que vem lá do fundo e a gente engole. A primeira vez que falei tudo isso com tanta franqueza foi pra ele, numa dessas muitas madrugadas insones. Estou basicamente transcrevendo. Na época eu já deveria estar na cama enquanto o fazia, mas como minha avó estava hospedada aqui em casa, a tensão andava bem grande e de qualquer forma eu me sentia meio desconfortável.

Naquele contexto, pelo menos na sala eu ficava sozinha e podia chorar com alguma privacidade…
Na época eu me mudaria para Santa Maria e isso pode ter me dado sensações de desconforto que sinto até hoje, mesmo sendo Porto Alegre. Quero poder conversar sobre tudo isso com um profissional o mais rápido que puder. Não quero ter uma depressão das brabas. Não sei como isso começou; sempre fui estressada, mas ultimamente tudo tem sido muito difícil.

Só não quero enlouquecer. Tem o fato de eu não conseguir acalmar o meu cérebro, com essa insônia, e me pegar pensando na morte, sendo que nada disso faz sentido ou é benéfico para mim. É como se eu estivesse dividida e uma parte quisesse detonar com tudo, exagerando as coisas e vendo o lado ruim; mesmo eu sendo em geral racionalmente positiva. Não consigo controlar ver isso em mim.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Por mais que você tente
encontrar o homem perfeito,
nunca vai conseguir, pois
a perfeição é almejada por todos e inalcançável
em igual proporção.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

A esperança

Sei que sou uma menina comum, que gosta de escrever. Alguém que aprendeu a valorizar as coisas simples da vida, e que não esquece dos próprios sonhos. Me conforta saber que, apesar de meus tantos defeitos, existem pessoas que me aceitam como eu sou, como por exemplo minhas amigas, e que posso contar com elas pra qualquer coisa.
Também me conforta saber que outras pessoas passam pelas mesmas coisas que eu. Afinal, mesmo quando tu pensas que está sozinho (a), sempre tem alguém verdadeiro no mundo, mesmo que seja raro. Por isso, não perca a esperança no amanhã!

domingo, 7 de agosto de 2016

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

A maior prova da
intimidade de um
casal é que ambos compartilhem
suas vidas sem invadirem
o espaço um do outro.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Não importa quantas nem quais
as dúvidas presentes
em seu coração. Mais cedo
ou mais tarde as
respostas chegam.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Nunca sofra por antecipação, 
paciência é uma virtude.
Apenas espere pelo futuro,
mas nunca desista dos seus sonhos.
Corra atrás deles. Sonhar e errar
são atitudes humanas,
dadas pelos deuses para
que sejamos únicos.