sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Canto III

Eu não nasci para viver com medo.
Onde estão os bravios que me prometeram?
Onde se esconderam aqueles que me contaram
Que arriscariam nobremente desde cedo
Aquilo que possuem de mais valioso
Para que meus passos sejam livres
Dos mais impensáveis pesares
Por tal horror belicoso?

Eu não nasci para viver atrás de grades
E me esconder de um dedo num gatilho
Quando um certo antigo estribilho
Fala de façanhas e liberdades
Que servem de grande modelo
A cada um, dentro e fora desta terra
Na paz e na derrota de cada guerra
Como a grande vitória e apelo.

Onde está a honra para com aqueles
Que apesar de tudo honram sua farda
Esperando a recompensa que tarda
Por tentarem salvar nossas peles
No que a cada dia mais parece selva
Em que nos sentimos animais fracos
Pisando em restos e cacos
Com medo do que o futuro reserva?

Onde estarão?

26/05/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!