domingo, 21 de fevereiro de 2010

CINZAS E ROSAS BRANCAS


Palavras inúteis
Teus beijos calam
Lágrimas insistentes
Teus carinhos cessam
Carência alarmada
Um abraço acalma
Meu coração solitário
Teu sorriso desperta
Silêncio irriquieto
Tua voz quebra
Dias escuros
Tua companhia ilumina
Horas vazias
Teu olhar completa
Poesia inacabada
Ganha vida com teus versos
Chuva discreta
Se torna sol com tua chegada
Barulhos externos
Teu silêncio alivia
Fogo ardente de tristeza
Contigo vira cinzas
A rosa que tu me deste não tem espinho...

2 comentários:

  1. Adoro todos seus poemas! Na verdade, não lembro nem como achei seu blog, mas suas rimas mostram muito o que as vezes quero falar.

    ResponderExcluir
  2. Suas poesias são tão lindas, você é tão inteligente! Espero que não estejam te plagiando porque é muito triste isso, vim agradecer o seu carinho la no meu post do fundo do meu coração, muito obrigada!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo feedback!