quarta-feira, 28 de setembro de 2016

O teu poema

Verso escrito
a sangue,
borrado de lágrimas,
duro no teu suor,
no fio do teu sorriso.

Verso que tira
o ar,
a fala,
a razão
de quem escreve
e quem lê.

Verso cuspido,
derramado,
esparramado,
sussurrado
com cuidado
desesperado.

Este é o verso
que quero.
Este é o verso
que te faz poeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!