domingo, 11 de setembro de 2016

Braille

Na minha cegueira
de amor
as pontas dos meus dedos
devagarinho,
com carinho leem
a poesia contida
em teus pontos,
relevos,
em cada célula tua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!