quinta-feira, 18 de março de 2010

MITO DA CAVERNA


Amarrados numa caverna contra a parede
Atrás apenas uma distante fogueira
Sombras as pessoas percebem no alamede
Não sabemos da mentira traiçoeira.
Certo dia, um dos homens se liberta
Na saída, pelos sol seus olhos ficam ofuscados
Mas depois, a verdade indignação lhe desperta
Quando ele enxerga a realidade ali representada.
Resolvendo aos outros contar a novidade
Ele volta para as sombras da caverna
Mas toalmente envoltos na incredulidade
Os iludids batem no libertado sem pena.
Hoje em dia, as pessoas muito se prendem à ficção
Onde toda a verdade está em apenas um lugar
Não entendem que de tão valiosa, não cabe na palma da mão
Sendo difícil de encontrar.
Porque a verdade suprema não existe!

2 comentários:

  1. Kii MARA, micaá!!! *--* By:Gee ..

    ResponderExcluir
  2. Verdade!
    Mas assim e a vida pois a persona do seu poema poderia ter sido egoísta e simplesmente ter vivenciado um novo mundo sozinho ou com os que nele já estariam libertos .Porem resolveu voltar e compartilhar a novidade ainda só vista pelos seus olhos, com aqueles presos a escuridão.
    Creio que a grande questão e nos colocamos também no lugar daqueles aprisionados e acostumados as corrente e escuridão. E nos perguntar-mos qual atitude tomaríamos diante deste fato novo e ainda impossível de acreditar? Pois não vivenciamos com nossos próprios olhos.
    Muitos de nos faríamos a mesma coisa que os ainda aprisionados, porem não adimitiriamos jamais tamanha fraqueza.
    Um bom final de semana a Ti.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo feedback!