sábado, 4 de julho de 2009

XADREZ


Me encontro numa
Partida de xadrez
Em que não posso
Mover as peças.
Preso em minha própria
Escuridão,
Oculta pelo tédio
Que domina meus dias...
Na simplicidade das
Minhas palavras
E a poesia que tento
Escrever em silêncio.
Sei que sou apenas
Um poeta sucumbido
Um pobre peão
Tentando dar o
Xeque-mate
E ser o rei...
Ou rainha,
Tanto faz!

Um comentário:

  1. ola. me chamo leandro. sou novo nessa arte de blog. adoro poesia e navegando por ai achei o seu blog interessante. eu gosto de história, filosofia e cultura em geral. desculpa a invasão. se quiser pode me seguir. adoro trocar idéias! abraços!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo feedback!