sexta-feira, 19 de junho de 2009

SEM NOME


Sou um homem sem nome
De poesia e inspiração tenho fome
De amor tenho sede
Um beijo você me pede
Arde dentro de mim esse amor
Que agora se abre em flor
É uma sensação sem nome
Conheço isso não sei de onde...
Apenas você assim me provoca
O seu lobo ainda não foi para a toca,
Mulher efêmera
E sem nome?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!