sábado, 13 de setembro de 2014

V

Oi, amor.
Esta é mais uma noite em que a insônia me faz companhia e eu resolvo te escrever outra vez. Escrevo por amor, por saudade, por necessidade. Talvez até para compensar as palavras que não surgiram para contar minhas histórias (seja pelo motivo que for).
Devagar algumas coisas estão entrando nos eixos, outras ainda estão longe de serem resolvidas. Para que tenhas uma noção, até mesmo o ato de terminar a leitura de um livro qualquer tem sido uma tarefa difícil; não tenho conseguido manter a concentração corretamente.
O nível de tensão por conta das guerras internas e externas atingiu um ponto tão crítico, que ontem, perto da hora do almoço, eu simplesmente desabei a chorar. Uma das partes envolvidas se sentiu um pouco ofendida e quis meio que se desculpar por estar aqui, coisas assim.
Mas o problema não é esse. É o barulho, é a discussão, é a falta de controle de um lado e do outro. De gente ansiosa que tenta acalmar quem está na pressão, acaba se metendo e não ajudando em nada quem na verdade precisa de paciência. E de quem na tentativa de que o outro fique quieto, só põe ainda mais gasolina no incêndio.
Realmente não aguentei mais e tive que dar um basta de algum jeito. Ninguém consegue ficar assim por muito tempo, pena que as pessoas não percebem isso. Chegou até a me dar uma tremedeira… Mas agora passou, pelo menos por enquanto. Espero que não se repita.
Andei preparando o terreno para botar as cartas na mesa assim que puder. Tomara que meus pais consigam entender e respeitem isso. E não adianta argumentar que o tempo passa, as coisas acontecerão quando tiverem que acontecer. O ponteiro gira onde quer que estejamos.
Assim eu sigo, dormente e ao mesmo tempo em estado de alerta. Na fronteira entre razão e emoção. Tentando solucionar as questões que ainda não possuem resposta. Respirando tranquila e ao mesmo tempo com o coração disparado pelo medo.
Torço para que estejas bem. Não vejo a hora de terminar o que precisa de um fim e de ouvir notícias tuas. Sinto saudade do meu irmão mais velho, rs. Te amo muito.
Da tua irmã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!