segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

VISITA

Ele chegou de mansinho, sem eu perceber.
Eu o esperei a vida inteira!
Também espero que permaneça, porque em mim não há pressa de ir embora, querido.
Porque quando você aperta minha mão, sinto que tudo de ruim vai embora.
Sei que você, mesmo de longe,
me guia pelos corredores escuros, me ajuda a encontrar a saída e iluminar o caminho.
Ainda não vou. Quero vê-lo feliz.
Não vou. Quero poder brotar um sorriso em teu rosto.
Sinto que o sol ainda vai brilhar.
Tenho que partir, mas prometo voltar.
Enquanto isso, não tenho pressa. Ficarei mais um pouco, meu querido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!