quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Inábil

Tudo bem não
conseguir escrever versos,
não pintar quadros
ou tocar violão...

Os traços e notas
tampouco me pertencem,
embora as palavras
surjam à vontade...

Se quiser escrever,
que cada rabisco
seja pedaço teu
e meu também.

Se não puder...

Dê-me as palavras
de maior carinho
e eu trarei
as nossas estrofes.

Se quiser pintar,
usa a cor
que teu coração
achar que deve.

Se não puder...

Misturemos nossos tons
nos traços tortos
de vida imperfeita,
mas vivida juntos.

Se quiser tocar,
deixa tua alma
escapar no dedilhar
das cordas gentis.

Se não puder...

Ponha os acordes
dos teus segredos
junto dos meus
e fazemos música.

De qualquer jeito...

Que tudo venha
só de ti,
que seja sincero,
chuva de verão.

E no fim,
apenas me ame
com tudo o
que tens e
o resto vem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!