sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Emoção

Emoção menina
tão minha
que flutua
em bem
poucas certezas.

Sem querer
soando condescendente
tentando entender
os outros
e eu.

Corpo jovem,
alma velha.
coração judiado,
com medo
de crescer.

Emoção frágil,
mar revolto
que conduz-me
aonde minhas
pernas falham.

Emoção intensa,
estranha, incontida
que transborda
de mim
até aqui.

Que acaba
encontrando morada
na palavra,
na poesia,
bela quietude.

Que tenta
viver, aprender,
mudar, aceitar
e permanecer.

Emoção que
tenta se
preencher, assim,
no tempo
que passa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!