quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

CONSISTÊNCIA

Pode rir de mim
O quanto quiser
Pode me medir
De todos os ângulos,
Não me incomodo.
Não tenho medo do porvir
Só me resta partir
Sem rumo certo
Consistir no que quero
E nada mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!