terça-feira, 26 de maio de 2009

TU ÉS


Tu és
O retrato rasgado
O conhecido e o estranho
De uma grandeza sem tamanho
O certo e o errado.
Tu és
O passado, o presente e o futuro
O vazio e o completo
O revelado e o secreto
A luz que me desvia do escuro.
Tu és
A inspiração da minha escrita
Que expressa tudo sem nada dizer
A vida que não foi vivida
"Dor que desatina sem doer".
Tu és
O papel queimado
O estouro do estopim
O passado que foi apagado
Meu princípio e meu fim.

Um comentário:

  1. Leila,
    Retribuindo tua adorável visita e agradecer o carinho pelo comentário e elogio!

    Adorei o poema "Tu És", interassante, algo concatenado com meu poema, qdo digo que poeta fala de vidas sofridas e passadas!
    muito bom o texto!

    Parabéns , o blog está lindo... voltarei pra novas leituras!
    bjss!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo feedback!