sexta-feira, 10 de julho de 2015

Feito de escuridão

De repente
o homem
tão destemido,
o soldado
tão viril
se vê
numa jaula.

Antes guerreiro
capaz de
grande violência,
agora está
derrotado, entregue
à sua
própria culpa.

Preso como
o animal
que lhe
disseram ser;
acuado, os
olhos vazios,
sem futuro.

Apenas certeza
do preço
a pagar:
voltar ao
inferno e
encarar a
dura verdade.

Pertencer à
escuridão para
a qual
um dia
fora feito.
Apodrecer e
desejar morrer.

O combatente
agora assustado,
sem forças,
sem fé,
sem vida
ou luz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!