domingo, 19 de setembro de 2010

ÓPERA

No verde dos olhos
A beleza de uma esmeralda
Nem os mais lustrados espelhos
Poderiam ter da pele a brancura alada.
Nos cabelos de seda
O negro da noite
Passou por uma grande perda
Ferida pela morte como um açoite.
As palavras de suas canções
São inspiração pra grande parte da minha poesia
Sua voz bonita toca os corações
Do piano saem suas notas com maestria.
Mesmo na flor da juventude
Possui grande sensibilidade
Sua maior virtude
É dizer o que sente de verdade.
Amy, nunca esqueça
De que também nunca estarás sozinha
Mais um dia na vida começa
E um dia reencontrará sua irmãzinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!