domingo, 2 de agosto de 2009

DERRADEIRO SOM


O derradeiro som de suas palavras
Invadiu sem temer meus ouvidos...
Me dizendo apenas adeus!
Ele me fez sentir muita dor.
Vejo as pichações na faxada do meu prédio,
Como simples
Mensagens ocultas da alma...
Minhas mágoas espalhadas
Pelo chão...
Com flores esmagadas pela
Cinza das
Horas óbvias dos
Dias comuns
Que ainda
Não vivi
Esperando a sua
Volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!