sexta-feira, 27 de março de 2009

A PORTA ABERTA


A porta aberta me chama para que eu vá embora
Quando estou tão entorpecida
Fora do caminho perdido
Sozinha e fria de novo
Com você longe de mim
Não quero me trancar por dentro depois que a porta aberta fechar
Preciso conviver com a minha tristeza
E aprender a ficar sozinha
Fechar esse vazio que me consome
Ser qualquer coisa inocente e talvez inútil
Porque nada pode me parar agora
Testemunhar seus sussurros de palavras pobres
Pagar meus "impostos" e enxugar os olhos
Neste doce sacrifício
De te ver longe de mim
Afundando em toneladas de erros propositais pra você
Sair pela porta aberta e esquecer de tudo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!