quinta-feira, 20 de julho de 2017

Soneto da aceitação

Sempre esteve lá
e eu não sabia o que era
adormecido, na espera
da hora de se mostrar.

Deixando tudo confuso
e difícil de aceitar,
como a partida do mar
quando a lua o faz recluso.

Mas não se escapa da verdade
de que certas coisas não se escolhe
e são parte de quem somos...

Esperando um coração que acolhe
por não ser calamidade
de impuros átomos.

08/05/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!