quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O testamento

Nada sou
a não ser pó,
retalho e resto
feito do desconhecido.

Nada tenho
a não ser pena
e mundos muitos
que cabem sobre
palma de mão.

Minha maior ambição
é sentir-me viva
e, só talvez,
não ser esquecida...

Por meu sangue
que de mim
não passará
o velho vácuo
a ti entrego
em ínfimo legado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!