quinta-feira, 28 de julho de 2016

Carta ao menino que dormia embaixo da escada

Pois é meu guri, o tempo passou, pra ti e pra mim também. Tu cresceste e eu cresci também. Desde que eu era bem pequena, tu esteves presente na minha vida; hoje és um homem e eu quase uma mulher. Éramos crianças e sabíamos pouco sobre a vida lá fora, mas hoje já não é mais assim.
Eu sei quem eu sou, e se não sei, sei quem posso ser um dia; tu já sabes quem és e com certeza tem orgulho disso. Em meio a toda a magia com que convives todos os dias e pude acompanhar, com o passar do tempo entendi que tem muito mais, e isso tudo é muito importante pra mim.
Certa vez, quando Dumbledore e Minerva te deixaram ainda tão pequeno na soleira do nº 4, ele disse que um dia todos saberiam quem és. E hoje todos sabem. Muitos, como eu, hoje entendem teu exemplo de amor e coragem e tentam segui-lo; quem dera se todos fossem assim. Henrique, o tempo pode passar, mas sempre irei lembrar com carinho do que me ensinaste e do quanto fizeste minha infância feliz.
A magia nunca acaba se vive dentro de nós. Eu nunca vou te deixar, nunca vou te deixar ir embora da minha vida! Meus filhos um dia conhecerão O Menino que sobreviveu e vão saber o quanto fui feliz por ter te conhecido, já que crescemos juntos. Obrigada por tudo, meu anjo. Seja feliz porque tu mereces.

Letícia Bolzon Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!