sexta-feira, 24 de junho de 2011

PORTO ALEGRE II

Ainda fujo pra Porto Alegre
Dizendo adeus ao que me faz mal
Pra tentar me encontrar.
Cada carro na Usina do Gasômetro
Tem pessoas indo sabe-se lá pra onde
E tem um rumo mais certo que eu.
Pela avenida Farrapos
Procuro algo que me preencha
Onde eu tinha muito pra contar
O que era meu
Não foi justo eu ter perdido
Mas eu não posso viver
Se não conseguir esquecer.
Mas talvez o Guaíba me escute
Entenda que há amor aqui dentro
E não conseguiu morrer,
Só não queria ir embora
Da minha Capital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!