domingo, 6 de março de 2016

A volta para casa

Na curva do
teu pescoço escondo
minhas lágrimas amargas.
Ao teu silêncio
entrego meus medos
e tantas dúvidas.

Em teu abraço
guardo minha alma
e corpo cansados,
maltratados pelos invernos
nublados e tristes...

Em tua mão
encosto a minha
e entrego meu
coração ainda sonhador
e que tenta
muito se conhecer...

2 comentários:

  1. Então,chove no Sul... essa tua poesia vai na alma. Mbom,grato...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chuva e poesia combinam porque no fundo nos lavam a alma :)

      Excluir

Obrigada pelo feedback!