quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Vida crua

Eu cozinho
minha raiva
a fogo
bem lento.

Temperada com
o ressentimento
de estar,
no fim,
de mãos
completamente atadas...

E não
conseguir saber
quanto tempo
ainda aguento
esperar para...

Agarrar a
vida cozida
que mais
me apetece
já fria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!