quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

VII

Oi, querido.

Tenho me forçado a escrever todos os dias, porque tem sido bem difícil lidar com os meus pensamentos. Talvez a tinta me faça enxergar o que não consigo ver, assim como tu consegues com maestria abrir os meus olhos como mais ninguém.

Nem tudo é tristeza. Só o fato de eu ter voltado a escrever já é uma vitória em muitos aspectos. A poesia outra vez tem sido minha companheira junto com a solidão, o que muito me consola. Assim como pensar em ti e imaginar o que estás fazendo agora. Sei que fazes o mesmo comigo; de alguma forma mágica estamos bastante conectados.

Fico contente por ti e pelas viagens que fizeste. Com certeza elas te abriram os horizontes e te fizeram ver muitas coisas de forma distinta. Mal posso esperar pelo dia em que o mesmo acontecerá comigo, porque preciso muito disso. E dividir tal experiência contigo seria melhor ainda.

Venho tentando me ajudar de todas as formas que encontro, porque quero ser a leoa rainha e guerreira que tanto dizes que sou. Por ti e principalmente por mim. Te juro que não vou desistir. O que seria de mim sem teu amor?
Da tua amiga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!