terça-feira, 17 de abril de 2012

EU, ASSIM

Eu, assim,
Com essas manias incorrigíveis
Meus cabelos bagunçados
Pernas finas e mão suadas.
Eu, assim,
Com meus sorrisos frágeis
Lágrimas mais frágeis ainda
O coração cheio de feridas
Que ainda teimam em machucar.
Eu, com meus anseios, desejos
Virtudes honrosas e defeitos
Ocultos no xadrez das camisas
E nos jeans escuros.
Eu, com minhas unhas esmaltadas
Velhos anéis de prata
Medos e escolhas.
Eu, com minhas carências, atitudes
Silêncios e versos simples.
Apesar de tudo isso
Tu me amas por quem eu sou
Mesmo que eu ainda não tenha certeza disso
Não me negas os abraços
Mesmo que às vezes eles sejam um pouco aflitos
Pedaço de mim
Meu irmão há muito tempo
Amor da minha vida
Que me traz o que tem de mais puro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo feedback!